Metade das mortes por acidente de trabalho acontece na construção civil

Diante dos casos, o Ministério do Trabalho irá reforçar as fiscalizações neste e em outros setores durante o mês de abril.

04/04/2018 06:47h - Atualizado em 04/04/2018 07:17h

Compartilhar no

Trabalhar em condições seguras é um direito de todo empregado, mas, somente no primeiro trimestre de 2018, o Piauí já registrou quatro mortes relacionadas ao ambiente de trabalho, sendo metade delas por queda em altura na atividade de construção civil. Em todo ano de 2017, foram registradas 12 mortes em situações de trabalho.

Segundo Flávia Lorena Cardoso Lopes, auditora fiscal do Trabalho, os casos ainda são o principal ponto fraco em relação à segurança do trabalho no Piauí. Ela garante que as fiscalizações nesse setor e em outros serão intensificadas.

“É o nosso ‘calcanhar de Aquiles’, por isso, que, no mês de abril, nós realizaremos atividades que priorizarão a fiscalização do trabalho em altura. Faremos um operativo, vamos deslocar nossos auditores para realizar essas fiscalizações reiteradas na construção civil durante todo o mês”, comentou a auditora.


Queda em altura é uma das causas das mortes no ambiente de trabalho, segundo o Ministério  (Foto: Jailson Soares/O Dia)

Exaustão

Mas a segurança do empregado envolve, além da proteção física do empregado, outros elementos, como a garantia de uma jornada de trabalho não exaustiva. De acordo com Francisco Luís Lima, médico do trabalho, muitos empregados estão adoecendo e morrendo devido ao problema.

“Devemos trabalhar oito horas diárias, mas algumas atividades exigem 12 horas de trabalho, por exemplo. Trabalhar 12 horas no plantão é exaustivo. É necessário descanso, folgas semanais, férias anuais de 30 dias, isso é o correto”, afirma o médico.

Uma prática comum entre muitos funcionários, por exemplo, é vender alguns dias das férias para complementar a renda. Para Francisco Luís, a ação prejudica e compromete a saúde e segurança do trabalhador. “Precisamos ter nosso descanso, pois a saúde é o conjunto do lazer e convívio com a família, somados à preservação da saúde mental e física”, disse.

Subnotificação

O médico do trabalho afirma ainda que, no Estado, são registrados, aproximadamente, quatro mil notificações de acidentes relacionados ao local de trabalho por ano, mas que o número pode ser ainda maior, se considerado os trabalhadores em atividades informais.

Compartilhar no
Por: Breno Cavalcante - Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário