Maus-tratos: motorista atropela cão e foge sem prestar socorro na zona Leste de Teresina

No vídeo postado por uma protetora de animais, é possível ver o motorista guiando o carro lentamente em direção ao animal e reduzindo a velocidade para passar por cima do cão

26/07/2021 14:41h - Atualizado em 26/07/2021 14:58h

Compartilhar no

Uma cena tem chocado protetores de animais e internautas. Um cachorro que dormia no meio fio de uma via foi atropelado propositalmente na madrugada de domingo (25), no bairro Cidade Jardim, zona Leste de Teresina. No vídeo postado por uma protetora de animais, é possível ver o motorista guiando o carro lentamente em direção ao animal e reduzindo a velocidade para passar por cima do cão.

A protetora Raíssa Rocha, que postou o vídeo, destaca que o crime de maus-tratos aconteceu na Rua Salitre, e que o ato não passará impune. “Mais um caso de atropelamento proposital. O que leva um ser humano a ver um animal indefeso deitado no meio da rua e passar por cima dele, para matá-lo ou machucá-lo?”, diz a publicação.

Ainda de acordo com ela, as imagens foram enviadas às autoridades competentes, para que pudessem localizar o motorista. Entretanto, devido a qualidade, não foi possível identificar a placa do veículo.

“Infelizmente, o assassino vai passar impune, mais uma vez, pois mesmo mandando as imagens para os órgãos competentes, os mesmos não conseguiram identificar a placa, devido a qualidade das mesmas. Mas sabemos que nada, nada mesmo, foge aos olhos e ao coração de Deus!”, disse Raíssa Rocha,

O cachorro atropelado chegou a ser socorrido por moradores próximo, mas não resistiu aos ferimentos. 

Outro caso

No dia 15 de julho, um gato foi atropelado propositalmente por um motociclista na cidade de Esperantina. O animal dormia no meio da rua quando o homem passa com a moto por cima do bichinho e foge. 

O crime foi filmado pelas câmeras de segurança de uma residência e mostra o condutor atropelando o animal que não teve chance de defesa. O gatinho morreu no local. É possível ver que o homem olhando para trás após o atropelamento. Ele ainda não foi identificado.

Segundo a protetora Raíssa Rocha,  é comum receber mensagens de pessoas denunciando este tipo de crime. Infelizmente, por medo de represálias, muitas pessoas que presenciam o ato acabam não anotando a placa do veículo ou realizando a denúncia. 

“Isso sempre existiu! Sempre recebo áudios de pessoas que dizem que presenciaram tal situação, mas nunca pegam a placa, por ficarem tão atônitas com a cena!”, enfatiza Raíssa Rocha.

Crime de maus tratos contra animais 

Segundo o delegado de Proteção ao Meio Ambiente, Emir Maia, destacou que ainda não teve conhecimento desse ato, porém, destaca que o crime de maus-tratos a animais, que, neste caso resultou na morte do cão, é apenado com reclusão, doloso. Ele enfatiza que é necessário provar durante a investigação e indícios de provas apontando que o autor quis atropelar o animal.


“Não é uma coisa tão fácil assim, como se notifica. A gente tem que tentar localizar o autor, ouvi-lo, solicitar os exames periciais necessários, diligenciar a fim de colher informações acerca dos fatos, ouvir vizinhos e testemunhas para podermos emitir um juízo de convecção, se há ou não crime. Evidentemente que as imagens falam por si só, mas precisamos iniciar uma investigação isenta, imparcial”, disse.


O delegado reforça que as pessoas, ao presenciarem este tipo de crime, devem fazer a denúncia, seja na Delegacia de Polícia, registrando o boletim de ocorrência, ou ainda em outros canais, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, pelo telefone (86) 3230-2025 ou pelos perfis das redes sociais do Facebook e Instagram, além da Polícia Civil, e os telefones 197 e o Disk 100.

Se possível, apresentar provas, o que pode acelerar o processo de identificação do possível culpado.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário