Especialista afirma que é preciso repensar modelo de transporte coletivo de Teresina

A utilização dos rios Parnaíba e Poti e a expansão do metrô são apontadas por ele como alternativas.

05/07/2021 09:50h - Atualizado em 05/07/2021 10:09h

Compartilhar no

crise no transporte público de Teresina é impulso para repensar o modelo adotado pela Capital ao logo dos anos. O arquiteto e urbanista Fritz Moura, professor da Universidade Federal do Piauí, é um dos especialistas que defendem uma remodelagem nos modais. A utilização dos rios Parnaíba e Poti e a expansão do metrô são apontadas por ele como alternativas. 


Leia também: O arquiteto e professor Fritz Moura aborda a mobilidade urbana na capital do Piauí 


“As pessoas pensam que o transporte público é só ônibus. Existem várias possibilidades. Tem desde táxi, moto-táxi, bicicleta, metrô, bonde. Por exemplo, temos dois rios. Poderíamos utilizar os rios como sistema de transporte e seria bastante viável. Temos muitas possibilidades que podem ser exploradas”, explica. 


"As pessoas pensam que o transporte público é só ônibus. Existem várias possibilidades", diz o arquiteto e urbanista Fritz Moura - Foto: Reprodução/O Dia TV

Fritz Moura indica que a falta de concorrência para operar o transporte público de Teresina é um dos motivos da ineficiência do sistema. O monopólio das empresas e o modelo de subsídios utilizados atualmente refletem na prestação de prestação de serviço que não atende a demanda da população. 

O grande problema do transporte público em Teresina é a falta de concorrência. Quando você tem o monopólio do Setut – apesar de ser várias empresas ele funciona como uma única empresa -, você tem um monopólio. “A forma como o subsídio está posto para esse sistema, ele é contrário à eficiência”, finaliza o arquiteto e urbanista. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário