• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

Doações são fundamentais para manter Lar de Maria

Casa de apoio à criança com câncer atende cerca de 800 pacientes ao longo do ano, oferecendo hospedagem, alimentação, material de higiene pessoal, entre outros itens.

08/02/2019 07:45h

Há 18 anos, o Lar de Maria, casa de apoio à criança com câncer, tem amparado pacientes portadores da doença, sobretudo os que se encontram em situação de vulnerabilidade social, tanto de Teresina, quanto do interior do Piauí e até de outros estados e que estão em tratamento oncológico na Capital.

O Lar de Maria atualmente atende cerca de 800 pacientes ao longo do ano, oferecendo hospedagem, alimentação, material de higiene pessoal, roupas, calçados, brinquedos, cestas de alimentos e auxílio para aquisição de medicamentos. Além disso, também viabiliza o transporte dos pacientes por meio da compra de passagens, atividades socioeducativas e de lazer.

Mas, para que estas ações continuem acontecendo, a instituição depende da ajuda e colaboração de todos, pois se mantém exclusivamente de doações. A coordenadora e vice-presidente do Lar de Maria, Gracinha Andrade, pontua que, mais que as doações dadas aos pacientes, o Lar de Maria tem uma grande importância, sobretudo, no acompanhamento psicológico para essas famílias.

“Eles precisam dessa conversa, desse abraço, desse momento de interação. Atualmente, nós abrigamos na casa apoio 48 crianças e seus acompanhantes, mas não atendemos somente aqui do Piauí, temos pacientes também em Tocantins, Maranhão, Pará e outros; por isso, é importante a participação da sociedade, para que possamos ajudar ainda mais essas famílias e crianças”, fala.

Para se manter, o Lar de Maria conta com as doações diárias de voluntários e simpatizantes da causa, além de ações que desenvolvem ao longo do ano, como bazar e a venda de produtos na loja, que fica localizada na Rua São Raimundo, 1000, bairro Piçarra, zona Sul de Teresina.

Projeto distribui frutas e verduras para mais de 60 famílias


14 feirantes são doadores e disponibilizam todas às quartas-feiras frutas e verduras para a instituição. Foto: Isabela Lopes/ODIA

O Lar de Maria possui o projeto ‘Quarta Solidária’, onde é entregue aos pacientes atendidos pela instituição frutas e verduras. Além disso, também são distribuídas duas latas de leite mensalmente, como forma de ajudar a complementar a alimentação. Hoje, 14 feirantes são doadores constantes, que disponibilizam todas às quartas-feiras frutas e verduras para a instituição e que são distribuídas para cerca de 60 pacientes e familiares.

São com esses produtos doados que os voluntários do Lar de Maria montam as cestas que são distribuídas aos pacientes. Gracinha Andrade enfatiza que as doações são simbólicas e servem apenas como complemento. Segundo ela, as famílias atendidas são carentes e não possuem condições de adquirir esses alimentos.

“Além das frutas, verduras e ovos, também doamos outros alimentos, como arroz, feijão, macarrão, que também são doados. É uma cesta complementar, ou seja, não tem todos os itens que ele vai precisar para sua alimentação, mas é algo que já ajuda. Em geral, são pacientes carentes e que não têm condições de comprar frutas e verduras por serem alimentos caros”, fala.

Antes de serem distribuídos aos pacientes, os alimentos doados passam por um rigoroso controle de triagem, feito por uma nutricionista. Os itens que não podem ser incluídos na cesta são descartados. Podem receber as cestas do Lar de Maria os pacientes em tratamento com câncer do Hospital São Marcos, vez que este é o único hospital em Teresina que atende pacientes desta natureza pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Todavia, segundo Gracinha Andrade, coordenadora e vice-presidente do Lar de Maria, para conseguir que os feirantes da Nova Ceasa se tornassem doadores assíduos, foi feito um longo e árduo trabalho de conversa e confiança.

“Para conseguir que eles fossem nossos doadores, o trabalho foi lento. Precisamos conquistá-los e mostrar como nosso trabalho é importante e verdadeiro, mostrar credibilidade para que eles tivessem confiança. Hoje, estamos consolidados e eles sabem como a doação deles é importante para nós”, coordenadora e vice-presidente do Lar de Maria.

Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário