Dia de Finados: familiares antecipam visitação em cemitério para evitar aglomeração

Os cemitérios de Teresina já estão preparados para receber os visitantes.

29/10/2021 10:44h - Atualizado em 29/10/2021 13:52h

Compartilhar no

O Dia de Finados, celebrado no dia 02 de novembro, costuma ser uma data de bastante movimentação nos cemitérios de Teresina. É um dia onde familiares e amigos dedicam algumas horas para visitar parentes e entes queridos que já se foram. Porém, este ano, assim como em 2020, a visitação aos cemitérios será diferente.


Leia também: Dia de Finados: Arquidiocese de Teresina anuncia retorno de celebrações presenciais 


Devido à pandemia da Covid-19, algumas pessoas estão optando por antecipar a visita ao túmulo de seus familiares. A medida é uma forma de evitar aglomerações no dia 02 de novembro. No Cemitério São Judas Tadeu, na zona Leste de Teresina, muitas pessoas já estão recebendo visitantes.

Foto: Assis Fernandes/ODIA 

Como Jacinta Castro (48), que aproveitou esta sexta-feira, antes de ir trabalhar, para visitar a sepultura de sua mãe, que faleceu há quase três anos. "Eu vim hoje e venho segunda, mas não venho na terça-feira, para não me aglomerar”.

Antônio Teixeira (40) também decidiu ir mais cedo ao cemitério para homenagear o pai, que faleceu há nove meses, vítima da Covid-19. No cemitério também está enterrado um amigo de Antônio, que faleceu em um acidente de jet ski, no Rio Parnaíba, em julho deste ano.

Foto: Assis Fernandes/ODIA 

“É importante visitar os entes queridos. Meu pai faleceu este ano e ainda deixa muita saudade e lembranças boas. A Covid-19 tem levado muitas pessoas e de uma forma que a gente não pode nem se despedir direito delas, por causa dos protocolos. Mas é importante frequentarmos esses lugares, para nos confortarmos com esse sentimento”, diz.

Antônio Teixeira visita túmulo do amigo em Teresina. Foto: Assis Fernandes/ODIA 

Na terça-feira, Antônio seguirá para a cidade de Parnaíba, litoral do Piauí, onde irá visitar o túmulo do padrasto, que morreu em abril, também em decorrência de complicações da Covid-19.

Apesar de morar no município de Cajueiro da Praia, em Parnaíba, litoral do Piauí, a dona de casa Cátia Nogueira, de 62 anos, conta que mantém a tradição de visitar os parentes no cemitério São José, Centro Norte de Teresina. Ela disse que a pandemia adiou esse compromisso por dois anos.  

“Neste túmulo estão minha mãe e meu avô e outros parentes. Ela faleceu há quase 30 anos e, ele, tem menos disso. Eu nunca deixei de vir, mas por causa da pandemia adiei esse compromisso por dois anos. Aproveitei esta sexta-feira para evitar aglomeração”, disse à reportagem. 

Cátia Nogueira. Foto: Assis Fernandes/ODIA 


Venda de coroas de flores e velas 

Aproveitando a visita antecipada nos cemitérios de Teresina, muitos comerciantes já montaram suas barracas com artigos alusivos aos Dia de Finados, como coroa de flores e velas. Antônio Carlos, conhecido como Barruada, trabalha como ambulante e costuma vender artigos de finados como forma de aumentar sua renda. 

O comerciante tem boas expectativas de vendas, já que a visitação nos cemitérios deve ser mais intensa que em 2020. Para atrair os consumidores, o vendedor aposta em valores acessíveis, com preços que variam de R$35 a R$40.

“Eu tenho costume de vender coroas no Dia de Finados. Em anos anteriores eu vendia muito bem, mas ano passado eu não vendi muito, como sempre vendo. Estou esperando este ano, que foi liberada a entrada nos cemitérios, para fazer vendas boas”, disse.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário