Dengue: com aumento de chuvas em Teresina, cresce número de casos da doença

Foram confirmados 2.654 casos em 2021, um aumento de quase 50% em relação a 2020

09/11/2021 16:47h

Compartilhar no

Ao longo dos anos, os casos de dengue em Teresina têm se comportando de maneira regular. Todavia, com o aumento das chuvas, o número de notificações vem crescendo, devido ao acúmulo de água parada. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), foram confirmados 2.654 casos em 2021, um aumento de quase 50% em relação a 2020.

Houve um aumento de 50% nos casos de dengue em 2021. (Foto: Arquivo O Dia)

Segundo o Dr. Paulo Marques, gerente de Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS), a produção de filhotes obedece às diferenças de temperatura. Ou seja, em períodos de pouca chuva, há menos mosquitos. “Este ano tivemos uma quantidade de chuvas a mais em períodos de “seca”. Isso faz com que aumente o número de mosquitos da dengue e assim, aumenta o número de casos”, explica. 

Dr. Paulo Marques alerta para aumento no número de casos e cuidados adequados. (Foto: Arquivo O Dia)

Dessa maneira, é preciso redobrar o cuidado com a água parada. Atualmente, há existem 240 agentes de endemias que, a cada dois meses, visitam 80% das residências teresinenses, com o objetivo de alertar e explicar como deve ser realizada a limpeza adequada, a fim de que ocorra uma diminuição na proporção desses insetos.

A limpeza adequada da água parada é essencial para evitar o contato com o mosquito da dengue. (Foto: Arquivo O Dia)

Além disso, a limpeza adequada da casa é imprescindível para evitar contato com o mosquito da dengue. Entre as recomendações estão sempre limpar sempre as caixas d’água e mantê-las fechadas; trocar a água de vasos de plantas aquáticas; secar os pratinhos dos vasos de plantas; limpar os ralos; tratar a piscina com cloro e nunca descartar lixo de maneira inadequada.

O especialista alerta ainda para o fato de que a dengue nunca deixará de existir e que é preciso que a população faça a sua parte. “Deixar de ter, não vai, pois é uma das doenças que é influenciada pelas condições ambientais que, inclusive, estão sendo discutidas no mundo todo. O ambiente que estamos destruindo favorece esses insetos e os ataques”, comenta Paulo Marques. 

 Aedes Aegypti é o mosquito transmissor da dengue. (Foto: Arquivo O Dia)

É importante lembrar ainda que a dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti que provoca febre alta, dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, dor atrás dos olhos, prostração, manchas vermelhas na pele, náusea e vômito. A doença pode desencadear complicações e até a morte. A recomendação para o doente é repouso e hidratação para que seu quadro se estabilize.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário