Defesa civil monitora 56 áreas de risco em Teresina devido à chuva

Nos últimos 15 dias, o acumulado de chuva na Capital é de 500 milímetros. Bombas da estação elevatória do Lagoas do Norte foram acionadas.

03/04/2019 11:01h

Compartilhar no

Com um acumulado de chuva de 500 milímetros nos últimos 15 dias, Teresina está em estado de alerta para os alagamentos e riscos de desabamentos e deslizamentos de terra. Para evitar maiores prejuízos e danos à população, a Defesa Civil Municipal está monitorando 56 áreas de risco na Capital onde foram identificadas ocorrências de desabamento.

Os bairros que recebem as equipes da Defesa Civil são a Vila Dagmar Mazza, onde cinco casas apresentaram risco de desabamento, o bairro Satélite, além da Vila da Fraternidade e do Planalto Bela Vista, onde foram identificadas residências com grave risco de desabamento. As famílias vão receber a notificação para que as residências sejam desocupadas e os atingidos serão encaminhados ao programa de assistência Cidade Solidária.

“No início de novembro de 2018, nós iniciamos os trabalhos relativos à chuva, que incluem o monitoramento das áreas de risco existentes na cidade de Teresina e o atendimento às famílias atingidas. No momento atual, estamos em fase de monitoramento tanto da situação das áreas de risco, como das famílias que estão lá”, detalha Sebastião Domingos, coordenador da Defesa Civil Municipal.


Bombas da estação elevatória do Lagoas do Norte foram acionadas pelo aumento do nível das águas - Foto: Arquivo O Dia

O Programa Lagoas do Norte também está atuando em conjunto com os demais órgãos no monitoramento, com atenção especial para as comunidades ribeirinhas que vivem na zona Norte da Capital. Com o aumento do nível dos rios, tendo o Poti atingido hoje a Cota de Atenção para risco de inundação, as bombas da estação elevatória estão sendo acionadas diuturnamente.

Esses equipamentos fazem o bombeamento da água das lagoas para o Rio Parnaíba. Com o aumento do nível das águas do Poti, o Parnaíba já se encontra represado e as águas tendem a invadir o Parque Encontro dos Rios. O monitoramento pelas equipes da Defesa Civil e do Lagoas do Norte tem sido intensificado naquela região em específico.

“Estamos diariamente acompanhando a evolução das chuvas e o nível dos rios e lagoas que formam o complexo hídrico da região norte da cidade. Além disso, acompanhamos também a situação das famílias que moram nas beiras de lagoas, já que muitas delas estão em situação de risco imediato de inundação", afirma Márcia Muniz, diretora geral do Lagoas do Norte.

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário