Covid-19: trabalhadores do transporte pedem inclusão no grupo prioritário de vacinação

Somente no último mês, cinco trabalhadores do sistema de transporte coletivo de Teresina perderam a vida em decorrência da doença.

04/06/2021 11:05h

Compartilhar no

Com o avanço da vacinação dos trabalhadores do sistema de transporte na cidade de Timon, município localizado na região metropolitana de Teresina, mototaxistas, motoristas e cobradores de ônibus da Capital pedem a inclusão da categoria no grupo prioritário de vacinação contra a covid-19. Segundo os trabalhadores, por estarem em contato direto com o público, a categoria está mais suscetível a ser contaminada pelo novo coronavírus. Somente no último mês, cinco trabalhadores do sistema de transporte coletivo de Teresina perderam a vida em decorrência da doença.


Leia também: Táxi-coletivo: motoristas e cobradores de ônibus temem novas demissões em Teresina 

Foto: Assis Fernandes/O Dia

O vice-presidente do Sindicato de Mototaxistas de Teresina (Sindmot), César Júlio, explica que os mototaxistas trabalham diariamente com medo de contraírem o vírus. Para diminuir os riscos, os trabalhadores fazem a higienização dos capacetes utilizados. No entanto, eles afirmam que somente a vacinação pode dar segurança para que a categoria continue a desempenhar o seu trabalho.

“Fazemos a higienização, mas isso não nos dá uma garantia de que não possamos ser infectados pelo coronavírus. Vemos na mídia que morrem mais de duas mil pessoas por dia, por isso a gente faz um apelo para que as autoridades garantam essa vacina. Desde que começou a pandemia nunca pudemos ficar em casa, porque não temos de onde tirar dinheiro, não temos um extra. Fazemos esse apelo porque estamos diariamente correndo atrás do pão de cada dia”, diz o mototaxista.

Foto: Arquivo O Dia

Assim como os mototaxistas, motoristas e cobradores de ônibus também pedem a inclusão do grupo na prioridade da vacinação contra a covid-19. Segundo a categoria, o índice de contaminação entre os trabalhadores é alto e, apenas no mês de maio, cinco funcionários do sistema vieram a óbito em decorrência de complicações causadas pela covid-19. 

“É um número muito grande para a quantidade de trabalhadores que temos no sistema. Nós queremos que a vacina chegue como prioridade, para nós do sistema de transporte como um todo, porque vidas estão sendo perdidas. Estamos pedindo urgência porque, além da situação de não receber salário, ainda estamos perdendo vidas para a covid-19, porque o poder público é omisso”, afirma o motorista Antônio Cardoso.

De acordo com ele, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), órgão municipal responsável pela gestão do transporte coletivo, não está mais realizando a higienização dos ônibus e a testagem dos motoristas e cobradores, como ocorria no início da pandemia. 

“Na gestão passados fomos testados, mas nessa gestão ninguém foi. Na gestão passada era feita a higienização nos ônibus que circulavam, eles botavam um produto que, de certa forma, minimizava a contaminação dentro dos ônibus, mas nessa gestão isso não existe”, denuncia, acrescentando que a higienização dos veículos era feita diariamente no Centro de Teresina.

A reportagem do O Dia entrou em contato com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), mas o órgão não se posicionou sobre a denúncia até o fechamento deste material. O Portalodia.com reitera que o espaço continua aberto para quaisquer esclarecimentos.

Sobre a vacinação, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou que ainda não há previsão de quando os trabalhadores do sistema de transporte de Teresina serão incluídos no calendário de vacinação. Segundo a Sesapi, a definição dos grupos prioritários para vacinação no Piauí seguem as recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Compartilhar no
Edição: Com informações de Tony Silva.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário