Coronavac: Piauí recebeu 23 mil doses de lotes interditados; vacinas não foram aplicadas

Os imunizantes foram retidos logo que a FMS soube da informação do órgão regulador

06/09/2021 10:07h - Atualizado em 06/09/2021 10:27h

Compartilhar no

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) informou ao PortalODia que o Piauí recebeu 23.840 doses do imunizante CoronaVac, pertencente aos lotes interditados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em Teresina, foram recebidas 11.920 doses da vacina e o restante ficou em estoque. Segundo a Fundação Municipal da Saúde (FMS), nenhuma dose do lote interditado foi aplicada na capital. 

(Foto: Divulgação/Sesapi)

De acordo com a Coordenadora de Imunização de Teresina, Emanuelle Dias, os imunizantes foram retidos logo que a FMS soube da informação do órgão regulador e por isso Teresina não aplicou nenhuma dose referente aos lotes que estão com a aplicação e distribuição suspensa.

Os lotes estão retidos na rede frio aguardando novas orientações da Sesapi e do Ministério da Saúde.

Lotes suspensos 

A Anvisa determinou no último sábado (04), a interdição de 25 lotes da vacina Coronavac. Ao todo, cerca de 12,1 milhões de doses tiveram o uso suspenso pela agência. A medida vale por até 90 dias.

Segundo a agência, os 25 lotes de Coronavac interditados foram envasados em uma unidade fabril chinesa não inspecionada pela Anvisa e nem aprovada na Autorização de Uso Emergencial no Brasil. As doses foram enviadas pela Sinovac, parceira do Instituto Butantan no desenvolvimento e produção da Coronavac.

(Foto: Divulgação/Sesapi)

A Anvisa diz ter sido avisada pelo Butantan na noite de sexta-feira (03), que as doses foram envasadas em local não inspecionado. Além destes lotes que já estão no Brasil, outros 17 com nove milhões de doses que também foram envasados em local não inspecionado pela Anvisa estão em tramitação de envio ao País.

Quem recebeu alguma dose desses lotes corre riscos?

Em nota, o Instituto Butantan afirmou que os imunizantes são seguros para a população e que todas as doses foram atestadas pelo "rigoroso controle de qualidade do Butantan".

O diretor da Anvisa, Antônio Barra Torres, disse em entrevista que não há motivo para pânico. Barra Torres afirmou que a decisão de suspender o lote é por cautela e reforçou que a Coronavac é uma vacina segura. A segurança da vacina foi comprovada por testes clínicos, cujos resultados foram analisados pelos técnicos da Anvisa e publicados em revista científica.

Compartilhar no
Fonte: Com informações do Estadão Conteúdo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário