Campanha da Fraternidade pede superação das violências que marcam o mundo

O tema de 2021 é “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”, e o lema: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade”,

18/02/2021 09:12h - Atualizado em 18/02/2021 13:03h

Compartilhar no

A Arquidiocese de Teresina apresentou, nesta quinta-feira (18), a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021, que tem como tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”, e o lema: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade”, (Ef 2,14a). A apresentação aconteceu no auditório Paulo VI, no Centro Pastoral Paulo VI.

Nesta edição, ela convida os cristãos e pessoas de boa vontade a pensarem, avaliarem e identificarem caminhos para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual. Tudo isso através do diálogo amoroso e do testemunho da unidade na diversidade, inspirados no amor de Cristo.

(Foto: Assis Ferandes/ODIA)

Realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) todos os anos no tempo da Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa, a Campanha da Fraternidade 2021 é promovida de forma ecumênica, ou seja, em parceria entre várias Igrejas Cristãs.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) tem sido realizada, em média, a cada cinco anos. A iniciativa congrega diversas denominações cristãs, sempre de forma ecumênica, valorizando as riquezas em comum entre as igrejas. O padre Leonildo Campelo, coordenador da CFE, pontuou que a campanha visa levar a população ao diálogo, especialmente aos mais necessitados. "Nós sabemos que o diálogo é o caminho de toda superação, de violência e de ódio, sobretudo em uma sociedade marcada pela ganância, pelo individualismo, pelo comércio e pelo poder. Então, Jesus Cristo apresenta como caminho, verdade e vida. Devemos nos unir para salvar e levar amor anos nossos irmãos". 


(Foto: Assis Ferandes/ODIA)

O padre Tony Batista destacou que a campanha da Fraternidade é a mais exitosa que a sociedade conhece e enfatizou que o intuito da ação é proporcionar a reflexão da população sobre temas que permeiam o mundo. “Nós não somos uma agência de arrecadação, somos uma agência de reflexão. Nós vivemos em uma sociedade polarizada, onde se você não pensa como eu, é meu inimigo. Por isso, nós precisamos construir pontes e não levantar muros. Por isso, este ano a campanha está sentada com os irmãos protestantes, pois a verdade está no outro. E não podemos aceitar o ódio, precisamos dialogar com o diferente”, disse.


(Foto: Assis Ferandes/ODIA)

A vice-governadora do Piauí, Regina Sousa (PT) esteve presente na solenidade e reforçou que o mundo tem enfrentado a violência diariamente, especialmente as mulheres, e, que para essa realidade mude, é preciso ensinar as crianças, desde pequenos, a importância do respeito ao outro.

“O mundo está precisando do diálogo, dos poderes e das pessoas, porque temos muitas mazelas na sociedade e precisamos trabalhar juntos. A gente tem um desafio que é a violência contra mulher, que está dizimando as mulheres. Para diminuir essas situações precisamos ensinar as crianças a não violência, para que quando crescem não queiram violentar outras pessoas.  A necessidade de diálogo no Brasil está muito forte, o Brasil está tomado pelo ódio, pela indiferença e pela intolerância. é a hora de refletor e pensar que precisamos ter união, diálogo e conversa para poder resolver os problemas, ”, falou. 


(Foto: Assis Ferandes/ODIA)

A deputada Estadual Teresa Britto (PV) também acompanhou a solenidade. “Deus ilumina as pessoas que buscam o tema da campanha da Fraternidade, e este é o momento que estamos precisando do diálogo, da escuta, para que as relações não sejam unilaterais", disse.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário