• assinatura jornal

Câmeras e drones vão auxiliar a segurança do Corso neste ano

Evento terá uma equipe de 800 policiais militares, 100 policiais civis, 107 agentes de trânsito e 50 policiais da PRF.

09/01/2018 14:56h

Este ano o carnaval acontecerá dia 13 de fevereiro, mas as comemorações começam bem antes em Teresina, no dia 3 de fevereiro, no Corso. As instituições envolvidas na organização do evento se reuniram na manhã desta terça-feira (09), na sede da Secretária de Segurança do Piauí, para definir o plano de segurança da festa que acontece uma semana antes do Carnaval. 


Foto: Assis Fernandes/ODIA

A novidade deste ano será a implantação de câmeras no percurso, uso de drones, além do aumento de iluminação nas margens do rio. “Todo esse aparato ajuda tanto para facilitar o trabalho dos policias, quanto para oferecer tranquilidade ao público que participa da festa”, conta Luis Carlos, presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

Estavam presentes na reunião o secretário de segurança Fábio Abreu, o presidente da Fundação Cultural Monsenhor Chaves Luiz Carlos Alves, além de representantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, SAMU (Serviço de Atendimento Móvel), Corpo de Bombeiros e Strans.

Foto: Assis Fernandes/ODIA

De acordo com o secretário Fábio Abreu, o principal objetivo é manter a tradição do Corso com segurança para a população. “É de suma importância a integração e o trabalho coletivo de todas essas instituições. A preocupação principal é garantir a segurança antes, durante e depois do evento”, afirma.

Com uma equipe com 800 policiais militares, 100 policiais civis, 107 agentes de trânsito e 50 policiais da PRF, o evento terá três postos de atendimento médico, um posto de comando, localizado debaixo da Ponte Estaiada, e cerca de 15 elevados da PM, ao longo do percurso. 

O corso terá início às 17h, mas a concentração dos caminhões será a partir das 06h da manhã na Avenida Duque de Caxias, próximo ao Atacadão. O percurso será o mesmo do ano anterior, na Raul Lopes.

Edição: Nayara Felizardo
Por: Geici Mello

Deixe seu comentário