Buracos na avenida Dom Severino causam prejuízos a motoristas e comerciantes

Os lojistas relatam que a profundidade dos buracos é tão grande que, mesmo sinalizados com cones, vários veículos já perderam o controle no local.

05/11/2021 12:46h - Atualizado em 05/11/2021 13:36h

Compartilhar no

A má qualidade do asfalto das ruas de Teresina já virou um problema comum para os moradores da Capital. Na avenida Dom Severino, na zona Leste, por exemplo, os buracos localizados próximos a uma galeria além de gerarem transtornos também estão causando prejuízo para os lojistas e motoristas que transitam pela região. 

Débora Nogueira, proprietária de uma loja localizada em frente à galeira, afirma que recebe diariamente várias reclamações de clientes que já foram surpreendidos pela lama jogada pelos carros que passam pelos buracos. A equipe de reportagem do O Dia também foi vítima do "banho de lama" ao chegar para averiguar a situação do local nesta sexta-feira (05).


Fotos: Assis Fernandes/O Dia

"Os nossos clientes chegam no estacionamento e, como eu sinalizo com o cone, eles precisam descer para tirar o cone e estacionar o carro. Nisso, os carros passam e jogam lama nos clientes. Estamos tendo prejuízos, principalmente a gente que fica aqui de frente. Estamos em uma situação em que a gente denuncia e ninguém resolve nada", afirma a empresária.

Débora Nogueira. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

Os lojistas relatam que a profundidade dos buracos é tão grande que, mesmo sinalizados com cones, vários veículos já perderam o controle no local e até mesmo os pedestres têm sido vítimas da situação. 

"A passarela do passeio central fica cheia de lodo e as pessoas caem. Uma mulher caiu antes de ontem, e se for uma pessoa idosa que cair e fraturar o fêmur? Até mesmo os carros altos caem nos buracos e estouram os pneus. Ontem um carro bateu no buraco e foi conseguir controlar a direção lá na frente, perto de uma árvore. Outro motociclista caiu e veio parar em frente à loja aqui do lado. Sem contar os prejuízos para os carros que caem nos buracos e quebram as peças. Basta observar no chão e ver os pedaços dos carros que caem aí", denuncia Débora Nogueira.

Foto: Assis Fernandes/O Dia

Segundo o lojista Thiago Melo, o problema persiste há, pelo menos, dois anos e meio, desde que a sua loja foi inaugurada. Ele destaca que apenas o conserto do asfalto não é suficiente para resolver o transtorno. "Sempre esteve assim, achamos que é a água de algum condomínio porque, mesmo quando não é período de chuva, sempre tem água. Os clientes reclamam e dizem que é complicado vir aqui. Ontem mesmo uma cliente tinha acabado de lavar o carro e tomou um banho de lama. A prefeitura diz que vai consertar, bota o asfalto, mas não resolve", relata.

Thiago Melo. (Foto: Assis Fernandes/O Dia)

A reportagem do O Dia entrou em contato com a Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD Leste) que informou que as obras de reparo na via e asfaltamento serão iniciadas ainda hoje.  "Aquele é um problema que existe há mais de 30 anos, é um problema da água servida da Vila Carlos Pádua. Nós notificamos a Águas de Teresina para que providencie com a máxima urgência, porque água se acumula na via e acaba destruindo o assoalho asfáltico. Vamos arrumar as sarjetas de uma forma que  água não continue a passar para a rua", explica o gerente de fiscalização da SAAD, Francisco Brandão. De acordo com ele, somente esse ano já foram realizadas três obras de reparo da via. 

 A Águas de Teresina, concessionária responsável pelo sistema de esgoto da Capital, também foi procurada pelo O Dia, mas até o momento não deu um retorno sobre o fato. O O Dia reitera que o espaço continua aberto para quaisquer esclarecimentos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário