Buracos causados por vazamento de água causam transtornos em vias de Teresina

Apesar de pavimentações asfálticas serem realizadas nos locais, os vazamentos de água reabrem os buracos

03/09/2021 09:13h - Atualizado em 03/09/2021 14:01h

Compartilhar no

Em alguns pontos de Teresina existem buracos que são causados por vazamento de água e que estão causando transtornos à população. Na Avenida Celso Pinheiro, zona Sul de Teresina, por exemplo, os buracos chegam a atrapalhar o trânsito, causando congestionamento e riscos de acidentes. 

(Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Apesar de a pavimentação asfáltica ser realizada no local, os vazamentos de água reabrem os buracos. Segundo Ramir Morais, um senhor que mora em frente à Avenida Celso Pinheiro, os buracos são sempre tampados, mas depois de um tempo a situação volta a se repetir. 

“Eles não fazem um serviço que presta. O ano todo é assim. Eles chegam e não cavam profundo para examinar o problema e depois de um tempo acontece de novo”, comenta.

Ramir Morais pontua que isso causa muitos problemas no trânsito, visto que a avenida liga o bairro Dirceu com a zona Sul de Teresina. “Esses buracos trazem prejuízo para os carros e para o trânsito, porque os carros precisam fazer fila única para passar. Normalmente, os carros fazem duas filas, mas quando chegam aqui perto tem que fazer fila única”, explica.

(Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Ainda de acordo com o morador, os profissionais responsáveis não examinam o problema de forma concisa.  “Eles não se aprofundam para ver qual o problema. A noite a gente pensa que está acontecendo um acidente, mas é só o carro passando pelo buraco”, destaca.

Crislane Silva, uma pedestre que passava pelo local, afirma que os buracos atrapalham não só o trânsito, como também as pessoas que estão a pé e os ciclistas. “Os buracos também atrapalham os pedestres, moro próximo e sempre preciso passar por aqui, é complicado”, afirma. 

(Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Além disso, no cruzamento entre a Rua Alaíde Marques e a Homero, na Zona Leste de Teresina, há outro grande buraco alagado que causa transtornos ao trânsito. Localizado no canteiro do cruzamento, os condutores sempre precisam tomar cuidado ao transitar pela rua. 

(Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Ao Portal O Dia, a Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (Eturb) afirma que existe uma equipe de ‘tapa buracos’ que atua diariamente na capital. Eles atendem de acordo com as demandas que chegam na Coordenação Especial de Asfaltamento (Ceasf). 

O planejamento é feito pela Supervisão de Aplicação de Asfalto (Supame). Segundo o órgão, eles já tinham conhecimento sobre o problema na Avenida Celso Pinheiro e afirmaram que há uma programação para tapar os buracos que será executada na segunda (06). 

“Já era de nosso conhecimento os buracos da Av. Celso Pinheiro. Mas não chegou a nós a demanda do cruzamento da Homero com a Alaíde Marques. Iremos mandar uma equipe para verificar o local”, assegura a Supame. 

Em nota, a empresa Águas de Teresina afirma que já direcionou equipes para verificar os locais onde estão ocorrendo os vazamentos. 

Confira nota na íntegra: 

A Águas de Teresina informa que direcionou equipes para os locais para a devida vistoria. No cruzamento das Avenidas Alaíde Marques e Homero, foi identificado vazamento em ramal de abastecimento predial, cujo reparo foi realizado. A repavimentação está programada para esta sexta-feira (03).

Na Av. Celso Pinheiro, por se tratar de um serviço complexo e que demanda um pouco mais de tempo, a concessionária está planejando manutenção programada para evitar problemas no abastecimento da região. Assim que for definida a data para o reparo, será realizada ampla divulgação prévia. 

A Águas de Teresina conta com a parceria da população. Gratuitamente, a população pode ligar para o 0800 223 2000 ou 115. A Águas de Teresina também dispõe de número de WhatsApp (98124-3199) e do aplicativo Águas App, disponível para celulares Android e IOS.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Ithyara Borges

Deixe seu comentário