• Natal
  • Policlinica
  • Motociclista
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Bancários fazem manifestação contra MP 905 nesta sexta-feira

Protesto deve impactar cerca de 2 mil pessoas na Capital com o retardo da abertura de agências. MP 905 foi editada pelo presidente Jair Bolsonaro e segue em tramitação.

21/11/2019 18:26h - Atualizado em 22/11/2019 07:57h

Bancários de Teresina fazem nesta sexta-feira (22) uma manifestação contra a Medida Provisória 905/2019 que aumenta a jornada de trabalho dos profissionais de 06h para 08h diárias além de retirar o descanso remunerado de sábados e domingos. A MP 905 foi editada e publicada no Diário Oficial da União pelo presidente Jair Bolsonaro no início desta semana.

Segundo o Sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF-PI) o protesto vai retardar a abertura das agências do Banco do Nordeste e Bradesco, no Centro de Teresina. Com isso, mais de 2 mil pessoas devem ser afetadas pelo movimento. O objetivo do protesto, segundo os organizadores, é chamar atenção da população sobre os efeitos da Medida para funcionários das agências em geral.

O presidente do SEEBF-PI, Odaly Medeiros, classificou a medida como um desmonte de direitos.

“Se aprovado o trabalho aos fins de semana, serão 14 horas de trabalho a mais, sem remuneração. Essa medida representa um desmonte dos direitos trabalhistas que ainda temos. Por isso temos que lutar, mostrar nossa insatisfação contra mais esse ataque e buscar reverter essa situação”, disse Odaly.

Movimentação nacional

O Comando Nacional dos Bancários conseguiu, em uma reunião com a Fenaban realizada no dia 14 de novembro, suspender temporariamente os efeitos da MP 905. Uma nova reunião marcada para a próxima terça-feira (26) deve resolver o empasse.  

Tramitação da MP 905

A MP 905/2019 foi encaminhada para análise do Congresso Nacional dia 11 de novembro. A Medida vale por 60 dias, podendo ser prorrogada por até mais 60 dias. Dentro desse prazo, precisa ser aprovada pelo Congresso para não perder sua eficácia.

A MP será examinada primeiramente por Comissão Mista de deputados e senadores, antes de ser votada nos dois plenários, da Câmara dos Deputados e Senado Federal.

Edição: Adriana Magalhães
Por: Jorge Machado, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário