Aula de Defesa Pessoal Feminina faz mulheres se sentirem mais seguras

Para o instrutor, a mulher é capaz de se proteger, sem a ajuda de outro, desde que passe a conhecer algumas táticas de defesa.

03/07/2017 08:12h - Atualizado em 03/07/2017 08:20h

Compartilhar no

Diante de tantos casos de estupro e assédio contra mulheres, bem como da vulnerabilidade a que estão submetidas em casos como esses ou em outras situações, algumas pessoas estão investindo em aulas de Defesa Pessoal Feminina com o intuito de fazê -las se sentir mais seguras. O professor David Vecki, faixa preta de Judô e credenciado pela Polícia Federal como instrutor de Defesa Pessoal, a pedido de algumas mães, organizou um curso intensivo destinado a mulheres de qualquer idade para ensiná-las a se proteger usando movimentos do corpo contra o agressor. 

De acordo com o instrutor, o curso dá uma noção básica à mulher de como agir diante dessas situações sem ser agredida. Para ele, ter esse conhecimento é muito importante. “Você vai ter uma base de como se defender. Eu acredito que todos deveriam ter noção básica de como se sobressair de alguma forma desses casos, é questão de segurança pessoal. A mulher não tem que querer ser protegida por alguém, ela é inteiramente capaz de se proteger sozinha tendo conhecimento de algumas tá- ticas”, explica. 

O curso foi idealizado atendendo a pedidos de mães que temiam por suas filhas, segundo Davi Vecki (Foto: Moura Alves/ O Dia)
O professor ressalta que a defesa pessoal tem por base o Judô: “A defesa consiste em técnica, não em força. Por isso, independente da mulher, seja ela magra, baixa, alta ou gorda, pode aprender a se defender”, garante ele. 

Todas as técnicas de reação utilizadas para preservar a integridade física e emocional própria através da defesa pessoal se baseiam na prevenção, a fim de evitar que ela chegue à condição de vítima, através do conhecimento dos riscos e adoção de procedimentos de segurança pessoal que dificultem uma ação violenta por parte do agressor. 

David explica que os rolamentos são as partes mais difíceis para a mulher, mas também são essenciais. “Para cair sem se machucar é preciso saber fazer as diversas formas desse rolamento, frente, costa, lateral, porque em qualquer luta corporal você sairá fragilizado, se cair de mal jeito", ressalta. 

Helsa Costa, funcionária pública, era uma das alunas do curso intensivo e diz que toda mulher deveria ter as noções básicas disso. “Você nunca sabe o que pode acontecer no seu dia a dia e, com a aula, tendo noção de como agir, posso me defender. Para mim, toda mulher deveria ter essa noção, então, vale a pena o investimento”, cita. 

Dentre os benefícios que a defesa pessoal traz estão a elevação da qualidade de vida, com a prática de exercícios regulares que melhoram as funções do corpo e aumenta a autoestima, aperfeiçoamento de habilidades físicas propiciando maior força, flexibilidade, coordenação motora, velocidade, agilidade e resistência nas situações de emergência e melhoria no aspecto emocional, proporcionando confiança, autodisciplina e determinação para alcançar objetivos. 

O curso aconteceu no último sábado (01), na Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (Adufpi), zona Leste de Teresina, no período manhã e tarde com aulas de defesa contra puxão, agarrão, abraço forçado, gravatas, socos, chutes etc

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Marco Vilarinho
Por: Karoll Oliveira

Deixe seu comentário