Audiência pública vai discutir a crise no sistema de transporte coletivo em Teresina

Usuários reclamam da falta de ônibus, longo tempo de espera e paradas sucateadas.

09/08/2021 14:14h

Compartilhar no

Os deputados estaduais Gessivaldo Isaías (Republicanos) e Teresa Britto (PV) requereram, na manhã desta segunda-feira (09), audiência pública em data a ser marcada para debater a crise no sistema de transporte coletivo de Teresina. Usuários reclamam da falta de ônibus, longo tempo de espera e paradas sucateadas. Para apurar irregularidades no transporte coletivo da capital, a Câmara Municipal de Teresina instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). 

Empresários alegam que a Prefeitura de Teresina deve o repasse de subsídios para operacionalização do sistema, ao passo que a gestão municipal se recusa a negociar ou ao menos discutir as alegações das empresas para chegar a uma solução do problema. Enquanto isso, quem é penalizado é o usuário, que acorda todos os dias sem saber se terá como chegar ao trabalho ou se conseguirá retornar para casa.

Leia mais: Transporte público: Omissão da Prefeitura de Teresina deixa usuários sem ônibus 

Atualmente, a Prefeitura de Teresina deve às operadoras aproximadamente R$ 21 milhões referentes ao acordo judicial realizado em setembro de 2020 e mais R$ 32 milhões calculados de novembro de 2020 a maio de 2021. O valor estimado mensal é de R$ 3 milhões para o cenário atual de frota reduzida. O Setut (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina) lembra que a tendência é haver uma necessidade maior que isso, caso se decida por aumentar a frota acima do praticado neste momento. 


Foto: Assis Fernandes/O Dia

O vice-presidente do SETUT Marcelino Lopes comenta sobre a falta de repasses da atual gestão municipal e os contratos firmados entre o Sindicato das empresas e a Prefeitura.

"A oferta de serviços de transporte urbano não parou no ano passado por conta de um Acordo Judicial firmado com a Prefeitura de Teresina, que se comprometeu a fazer um repasse para cobertura dos custos operacionais referentes ao período de março a setembro de 2020 para amenizar os prejuízos causados na pandemia pela Covid-19. Ficou determinado que a Prefeitura faria um repasse no valor total de R$ 26,2 milhões, a serem pagos em 12 parcelas mensais, vencendo a primeira em novembro de 2020", explica.

Esclarecimento 

O vereador Dudu Borges (PT), presidente da CPI do transporte público de Teresina, decidiu na última sexta-feira (06), junto com os membros da Comissão, convocar o ex-secretário de Finanças da Prefeitura Municipal de Teresina, Francisco Canindé, para esclarecer questões sobre movimentações financeiras quando era gestor da pasta. 

A data da oitiva ainda será definida, mas a previsão é de que seja realizada até a próxima sexta-feira (13).


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário