Apenas 38,47% dos grupos prioritários foram vacinados contra gripe em Teresina

Um número ainda baixo se levado em consideração que a meta de imunização é de 226.698 pessoas.

04/05/2019 12:07h - Atualizado em 04/05/2019 12:35h

Compartilhar no

Acontece neste sábado (04) o dia D de vacinação contra a gripe em Teresina. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) chama atenção para que os grupos prioritários compareçam aos postos de vacinação. Segundo dados da Fundação, até o momento apenas 38,47% do público-alvo compareceu às salas de vacina. Um número ainda baixo se levado em consideração que a meta de imunização é de 226.698 pessoas. Neste dia D de vacinação, 39 salas de vacina em todas as zonas da cidade estarão abertas para imunizar aqueles que enquadram no público-alvo.

Dados parciais da FMS mostram que , até este sábado, já foram vacinadas 87.231 contra a gripe em Teresina desde o início da campanha, que começou no dia 10 de abril. Até ontem (03), cerca de 29.360 doses haviam sido aplicadas em idosos, o que corresponde a 41,66% do total de 70.481 pessoas. Em segundo lugar vem o grupo das crianças de seis meses a menores de seis anos, com 22.292 doses, que corresponde a 33,02% da meta de 67.517.

Até o momento, cerca de 29.360 doses foram aplicadas em idosos, o que corresponde a 41,66% do total de 70.481 pessoas (Fotos: Poliana Oliveira/ODIA)

Outro grupo que proporcionalmente apresentou as maiores taxas de comparecimento foi o das gestantes, com 43% da meta de 10.106 mulheres vacinadas. As puérperas, mulheres com até 45 dias de pós-parto, trabalhadores da saúde, população indígena, pessoas privadas de liberdade, professores e pessoas com doenças crônicas, além dos funcionários do sistema prisional, presos e policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas também fazem parte do grupo prioritário e devem comparecer às salas de vacina.

“É importante falar mais sobre o assunto, mostrar para as pessoas o que está acontecendo no mundo e para as pessoas valorizarem e darem crédito ao Sistema Único de Saúde, que está fazendo essa grande operação de imunização, no sentido de diminuir o número de casos graves da síndrome respiratória aguda grave com casos de óbito. Até o dia 30 de abril, o Ministério da Saúde registrou 81 óbitos por síndrome respiratória aguda grave, dos quais 55 óbitos foram por H1N1. Diante desses dados, é mais uma razão para que as pessoas façam a vacinação, principalmente os grupos prioritários, que são os que adoecem gravemente e que mais morrem”, enfatiza Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

A diretora de vigilância pontua que a vacina é segura, produzida com fragmentos do vírus morto, e não tem efeitos colaterais. Além disso, protege contra os três tipos de vírus mais comuns no Brasil, que são o H1N1, H3N2 e influenza do tipo B Victoria. A Influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos ou nariz.

Além da vacina, a prevenção deve ser feita com cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos da ponta do dedo até o cotovelo com água e sabão; lavar os filtros de ar condicionado mais de uma vez por semana e arejar os ambiente. Com relação ao tratamento, o paciente deve ficar em repouso, ter boa alimentação e hidratação intensa.

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário