• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

479 câmeras farão monitoramento do trânsito de Teresina

Serão instaladas novas câmeras, que também auxiliarão na segurança e combate ao crime

28/11/2019 16:36h

A partir do primeiro semestre de 2020, serão instaladas 479 câmeras que vão auxiliar na operação e monitoramento do trânsito de Teresina e serão controladas pelo Centro de Comando e Controle Operacional (CCO). Os equipamentos serão colocados nas estações, terminais, corredores de ônibus, além de semáforos, permitindo melhor gerenciamento na base do transporte público.

Weldon Bandeira, superintendente da Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito, explica que a maioria das câmeras farão o monitoramento das estações de ônibus e terminais. Contudo, algumas que estarão na parte externa podem vir a notificar crimes, caso seja necessário.

O CCO possuirá alta tecnologia, por meio de uma sala de servidores (Datacenter), para a gravação de arquivos, gerenciamento, conexão e controle da energia dos equipamentos que compõem o Centro. Weldon Bandeira enfatiza que o investimento é essencial para que o monitoramento seja realizado de forma eficaz, permitindo mais segurança para a população teresinense. 

Posteriormente, serão instaladas novas câmeras, que também auxiliarão na segurança e combate ao crime, totalizando mil equipamentos e sendo essa uma licitação feita pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

“A assinatura da ordem de serviço é um passo fundamental para que essa Central comece a operar em breve e para que possamos ampliar os serviços. Ao final do processo, junto ao BNDES, teremos mais de mil câmeras instaladas em Teresina. O Centro terá seu foco, primeiramente, no setor de transporte público, com o monitoramento e manutenção frequente dos corredores, estações, terminais e semáforos. Posteriormente, a expansão abrangerá a segurança e gerência das entradas e saídas dos principais bairros e avenidas da cidade”, revela o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

O novo serviço tem investimento total de quase R$ 26 milhões, oriundos de recursos federais, e é uma iniciativa da Prefeitura de Teresina, através da Strans e da Semcaspi, com apoio de instituições de segurança.

Foto: Arquivo O DIA

Especialista avalia que medida não é a forma mais eficaz de coibir a criminalidade 

A instalação dos equipamentos é apontada pelo especialista em segurança pública, Arnaldo Eugênio, como uma medida que vai conseguir identificar crimes de trânsito e os que ocorrerem nas proximidades das vias onde serão colocadas. Contudo, ele ressalta que essa não é a forma mais eficaz de coibir a criminalidade na cidade.

“Eventualmente, essas câmeras podem flagrar um crime e auxiliar a polícia a identificar os criminosos e a dinâmica do crime. Mas as câmeras não são capazes de inibir o crime. Vamos criar um grande big brother público e não vamos resolver o problema. A tendência é diminuir o crime nos pontos onde esses equipamentos estão instalados, mas os criminosos migram para outros lugares”, opina. 

O especialista defende que o valor injetado no sistema de monitoramento poderia ser investido em políticas públicas efetivas para ampliar as campanhas educativas de combate ao uso do álcool por motoristas, atividades que evitassem o contato dos jovens com as drogas e desenvolvimento de ações para oportunizar emprego e renda a população. “Os crimes de trânsito, assaltos, homicídios, devem ser combatidos de forma inteligente e com um planejamento estratégico. Não são as câmeras de segurança que vão inibir a criminalidade”, finaliza.

Por: Otávio Neto

Deixe seu comentário