"œVou até a última instância", diz pai de Vanessa Carvalho sobre julgamento de Pablo Santos

Em protesto realizado nesta quarta (29), o pai da jovem, Edson Carvalho lamentou que o réu ainda não tenha sido julgado

29/09/2021 12:25h - Atualizado em 29/09/2021 12:43h

Compartilhar no

Nesta quarta-feira (29) completa dois anos que Vanessa Carvalho foi assassinada, após ser atropelada quando saía de uma festa com uma amiga, Anucha Kelly, em um buffet na zona Leste de Teresina. O crime foi cometido pelo empresário Pablo Henrique Campos Santos, namorado de Anucha na época, que nunca foi julgado. 

Com cartazes, amigos e familiares de Vanessa se reuniram em frente ao Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI)  para cobrar celeridade da Justiça e pedir que o réu vá a júri popular. O pai da jovem, Edson Carvalho, lamentou que o acusado ainda não tenha sido julgado e comentou o resultado do julgamento do ex-capitão da Polícia Militar, Allison Wattson da Silva Nascimento, ocorrido na última sexta-feira (24), que o condenou a 13 anos, 7 meses e 21 dias de prisão pelo assassinato da jovem Camilla Abreu em crime praticado em outubro de 2017.

(Fotos: Assis Fernandes/ODIA)

“Estou até com medo se for marcado o julgamento da minha filha. Nem que eu vá para as últimas instâncias, mas se acontecer como no caso do último julgamento, eu não vou aceitar. Se trata de uma família, de uma vida, ninguém tem o direito de fazer o que esse monstro fez. O que houve com a minha filha e com a Camila Abreu foi Feminicídio, e a Justiça tem que mostrar do lado que está, se é da família e da vida, ou de bandido. Viemos aqui pedir mais uma vez à Justiça a celeridade desse processo. A voz do povo é soberana, eu não quero chegar aqui nesse prédio e ver como algo figurativo, que haja realmente Justiça”, disse.

A amiga de Vanessa, Cristine Iluska Alves, que coordena o movimento ‘Vozes de Vanessa Carvalho’ também clama para que o réu seja julgado e receba punição máxima. O Feminicídio, de acordo com o Código Penal, tem pena de reclusão de 15 a 30 anos. 

“Hoje fazem dois anos que a Vanessa foi brutalmente assassinada e o caso ainda não foi julgado. Pedimos também que sejam dadas penas de acordo com os crimes, porque um crime de Feminicídio, como foi o de Camilla Abreu, bárbaro, foi só de 16 anos, e os acréscimos por outros crimes e isso é muito frustrante para as famílias e para a sociedade. A gente pede a pena máxima para esses casos de Feminicídio porque tem essa qualificadora, é desumano, um crime que dá sinais, porque percorre todo o ciclo de violência, psicológica, moral, física até chegar ao Feminicídio”, pontua Iluska Alves. 

O pai de Vanessa, Edson Carvalho, conta que na segunda-feira visitou o túmulo da filha e que a perda da jovem ainda é bastante dolorosa para a família. “Ontem fui ao cemitério. Hoje, é o último lugar que vamos é lá”, falou emocionado.

Amigos e familiares de Camila Abreu também estiveram no protesto, em apoio à família de Vanessa Carvalho. O pai da jovem, Jean Abreu destacou a insatisfação com o resultado do julgamento e informou que a família recorreu, pedindo que a pena de Allison Wattson da Silva Nascimento seja aumentada

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário