Os perigos que a internet representa e os caminhos para acessá-la com mais segurança

Como navegar com segurança em meio aos perigos da rede

12/09/2012 15:02h

Compartilhar no

Na internet, o risco de golpes, espionagem e roubo de arquivos e senhas é um sério problema. Para os estudiosos de segurança virtual Grampp e Morris, é quase impossível conectar-se seguramente à rede e uma solução para isso seria desconectar o computador de qualquer sistema de rede externa e colocar a máquina em uma sala fechada com um guarda na porta.

Gilvan Alves, bacharel em Sistema de Informação, acredita que os vírus são mesmo perigosos, mas avalia a medida acima como sendo radical demais. Para ele, nos sentiremos seguros na internet se tivermos uma boa percepção para discernirmos o que pode ou não ser vírus e complementa: "nós somos parte fundamental para nossa segurança na net".

Avaliar se os e-mails que chegam à caixa de entrada são realmente das organizações e empresas que dizem ser, bem como usar sempre a mesma máquina para acessar sistemas bancários são umas das dicas que o profissional dá aos internautas. Aliada à percepção, Gilvan assegura ainda que um bom antivírus, constantemente atualizado, ajuda em muito para que tenhamos maior segurança na navegação, "embora não seja suficiente, já que a cada segundo surgem novos vírus", afirma.

Outro problema é a proliferação de vírus através das redes sociais. Para Fábio Assolini, pesquisador brasileiro de malwares da Kaspersky Lab, o uso dessa ferramenta é uma tentativa do criminoso obter mais confiança ao enviar um e-mail que remaneje o internauta a uma rede social, página com a qual ele está mais familiarizado. Uma das fraudes mais corriqueiras é o roubo de login e senhas, normalmente capturadas ao clicar-se em links oferecidos em murais infectados.

A universitária Carolina Oliveira teve os dados de acesso ao seu e-mail roubados há pouco tempo e explica que a sensação é como em um assalto. "Fica-se impotente", afirma. Quando questionada sobre as medida que toma para navegar com mais tranquilidade, a estudante é clara: "não clicar em links bizarros e luminosos". Além disso, ela diz policiar os sites que acessa, uma vez que existem sites em que o risco de infecção é maior.

Uma recente pesquisa feita pela empresa de segurança na internet Symantec, avaliou que tipos de sites demonstram maior risco de ameaças. O resultado demonstrou que sites de doutrinas religiosas são pelo menos três vezes mais perigosos que sites pornográficos, que eram creditados como sendo um dos maiores responsáveis na disseminação de vírus. A pesquisa ainda constatou um aumento de ameaças dirigidas contra empresas e percentual de 49% a mais de ataques baseados na web.

Compartilhar no
Edição: Francicleiton Cardoso
Por: Francicleiton Cardoso

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas