• Premium Outlet
  • Salve Maria
  • Jovens escritores 2019
  • Banner paraíba
  • AZ no rádio
  • cachoeir piaui
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att
  • TV O Dia - fullbanner

Mãe de ACM Neto dá palavra final na campanha em Salvador

A mãe minimiza sua influência na campanha do filho. Diz resolver "só alguns problemas

06/10/2012 12:08h

A campanha de ACM Neto (DEM) em Salvador tem os habituais coordenadores políticos e de marketing, mas quem dá a última palavra é a mãe do candidato.

Casada com o ex-senador ACM Junior, filho mais velho do senador Antonio Carlos Magalhães (1927-2007) e dono da afiliada da TV Globo na Bahia, Maria do Rosário, 55, abandonou a psicologia para cuidar da carreira política do herdeiro de 33 anos.

A mãe minimiza sua influência na campanha do filho. Diz resolver "só alguns problemas que surgem no dia".

O celular, contudo, não para de tocar. Rosário também visita comunidades pobres em eventos de campanha, às vezes até sem o candidato.

"Não vou dirigindo aos lugares porque é difícil, muitos são distantes, mas eu sou uma pessoa simples por essência. Vou de calça jeans e uma camisa", afirma.

Ela pede desculpas por receber a reportagem em uma sala "simples" no comitê, com estrutura provisória, ar condicionado e secretárias. No espaço, imagens religiosas dividiam espaço com "santinhos" do filho.

Rosário também trabalha para ACM Neto em seu mandato de deputado federal no Congresso, embora longe de Brasília, na representação em Salvador. Diz que os primeiros contatos com a política surgiram nas eleições do sogro, que define como "homem bastante afetuoso".

LEGADO

Ela diz que o "legado do avô é muito forte" para ACM Neto e reclama quando o filho é atacado por rivais. "O PT está há seis anos no governo e fez pouco para a cidade. Preferem fazer campanha agressiva contra meu filho."

Na internet, a campanha rival é ainda mais dura com o avô, citado na seção "tristes memórias do carlismo".

Rosário opta por não polemizar e é contida nas declarações. "Fico só no bastidor. Quando se expõe muito, acaba prejudicando, né?", diz.

Fonte: Folha

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas