Em 10 anos, Facebook mudou relações pessoais e comerciais no mundo

Ferramenta facilita a comunicação, mas também é considerado um espaço para desentendimentos.

10/02/2014 07:07h

Compartilhar no

Uma empreitada de um grupo de amigos que ganhou o mundo, conquistou adeptos e mudou os hábitos e relações pessoais e comerciais. ‰ assim o Facebook, uma rede social que nasceu de uma ideia de quatro universitários e que completou 10 anos, no último dia 4 de fevereiro, se consolidando com uma das mais bem sucedidas redes sociais, com mais de um bilhão de usuários em todo mundo.

O Facebook foi criado por Mark Zuckerberg, Chris Hughes, Eduardo Saverin e Dustin Moskovitz. A ideia era envolver apenas os estudantes da universidade de Havard, na qual eles estudavam, para que eles pudessem escolher os amigos mais atraentes. Apesar de ter sido lançado em fevereiro, somente em setembro a ferramenta ganhou o €œmural€, permitindo aos usuários enviar mensagens para os amigos. Mesmo com um potencial ainda €œlimitado€, a rede contabilizava 1 milhão de usuários.

De lá para cá, a empresa veio ganhando adeptos e se aperfeiçoando, criando novas ferramentas. Em 2005, pouco mais de um ano do surgimento do Facebook, um dispositivo foi criado para possibilitar uma interação ainda maior entre os usuários. Nessa época, foi permitido o compartilhamento de fotos e foi liberado para ser acessado em todo o mundo, mas apenas por estudantes.

Foto: Jailson Soares/O Dia


O Facebook revolucionou as formas de relacionamento entre as pessoas em todo o mundo

No dia 26 de setembro de 2006, o Facebook permitiu que qualquer pessoa pudesse criar a sua conta. Não demorou e a rede logo contabilizou 12 milhões de adeptos. Em 2007, outra inovação na rede permitiu que o facebook ganhasse uma adesão ainda maior: a liberação de compartilhamento de vídeos. Em 2008, criou um chat, possibilitando o bate-papo entre os usuários.

Mas a história do Facebook também está ligada à escândalos. € medida que ganhava novos adeptos, uma polêmica invadiu a rede. Os gêmeos Winklevoss €œcolocaram a boca no trombone€ alegando serem os verdadeiros mentores do Facebook. Após várias batalhas, Zuckerberg cedeu e arcou com o pagamento de US$ 20 milhões em dinheiro e US$ 45 milhões em títulos da empresa aos gêmeos para por fim ao caso. Não adiantou muita coisa. Logo depois, os irmãos Winklevoss solicitaram a reabertura do caso por considerar que foram enganados.

Mesmo em meio à polêmica, o Facebook continuou crescendo e ganhando novas ferramentas, como a opção €œcurtir€, criada em 2009. Layout foi reformulado e não demorou para a marca alcançar 360 milhões de usuários. Em 2010, já eram mais de 608 milhões de pessoas usando o Facebook.


Veja mais detalhes na edição de hoje do Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Mayara Martins - Jornal O DIA

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas