Surto de meningite no Ceará preocupa autoridades de saúde no Piauí

Pelo menos duas pessoas morreram em decorrência da doença no município de Parambu, na fronteira entre o Piauí e o Ceará.

26/05/2017 16:18h

Compartilhar no

Devido a casos recentes de óbito de pessoas infectadas com meningite no município de Parambu, na fronteira entre Ceará e Piauí, equipes de saúde serão deslocadas pela Secretaria Estadual de Saúde do Piauí (Sesapi), para averiguar possíveis casos em municípios limítrofes, em especial Pio IX e Pimenteiras. Na última semana, pelo menos duas pessoas morreram infectadas por meningite no município cearense. 

Em nota, a Sesapi informou que não houve casos notificados de meningite nos últimos três anos no município de Pio IX, na região de Parambu. No Piauí, até agora 17 casos da doença foram confirmados, nas cidades de Barras, Batalha, Campinas do PI, Picos, Piripiri, Regeneração, Santo Antônio e Teresina. Em 2016, foram 154 casos confirmados.

Segundo notícia divulgada na página do jornal O Povo na internet, quatro pessoas foram diagnosticadas com meningite entre os dias 18 e 23 de maio no município de Parambu. Destes, dois homens, com 24 e 53 anos, morreram em decorrência de complicações da doença. Outros dois pacientes foram transferidos e estão internados no Hospital São José, em Fortaleza, unidade de referência em doenças infectocontagiosas no Ceará. 

De acordo com o secretário Estadual de Saúde do Piauí, Florentino Neto, as mortes deixaram o governo piauiense em alerta, devido a proximidade entre os municípios, para possíveis novos casos da doença . “Estamos vigilantes quanto a estas notificações. Entramos em contato com a Secretaria do Ceará para conhecimento dos casos e vamos enviar uma equipe àqueles municípios para orientar as secretarias municipais de saúde, dando todo aporte necessário”, afirma Florentino.

O secretário reforça a importância da vacina, que é considerada a forma mais eficaz na prevenção da doença. As vacinas são utilizadas na rotina para imunização e também para controle de surtos e estão disponíveis no Calendário Básico de Vacinação da Criança do Programa Nacional de Imunização (PNI/MS). A imunização primária consiste de duas doses, aos 3 e 5 meses de vida, e o reforço entre 12 e 15 meses de idade. No ano de 2017 foi introduzida a vacinação para meningo C para adolescentes de 12 a 13 anos de idade.

 Os sintomas da doença em criança ou adulto são febre, dores de cabeça, vômitos, rigidez de nuca, outros sinais de irritação meníngea, convulsão e petéquias. O modo de transmissão é o contato direto através das vias respiratórias e secreções nasofaríngeas.

A Sesapi informou ainda que os casos notificados devem ser encaminhados ao Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela e os exames confirmatórios são enviados para o Laboratório Central (LACEN).

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas