Pacientes transplantados denunciam falta de medicamento especial no SUS

Medicamento especial utilizado para evitar rejeição de órgãos transplantados está em falta na rede pública de saúde desde o início deste mês.

23/04/2019 16:27h - Atualizado em 23/04/2019 16:35h

Compartilhar no

O micofenolato de mofetila é um medicamento indicado para o tratamento de pacientes que passaram por procedimentos de transplante de órgãos e é usado para prevenir a rejeição dos órgãos transplantados. Atualmente disponível apenas pelo Sistema Único de Saúde, o medicamento está em falta na Farmácia de Dispensação de Medicamentos Excepcionais, com reabastecimento previsto apenas para o final deste mês, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi).

A funcionária pública aposentada Lilian Lopes Pessoa é uma das pacientes que denuncia a falta de medicamento na rede pública de saúde. Após passar por uma cirurgia de transplante de rins há 28 anos, a paciente relata que, desde o transplante, faz uso diário da medicação para evitar a rejeição ao órgão transplantado. 

“Eu tomo diariamente quatro cápsulas de 500 mg, pela manhã e à noite. Todos os meses vou até a Central de Dispensação para receber o medicamento,  mas quando cheguei lá no último dia 15 me informaram que a medicação ainda não havia chegado e que eu deveria retornar na segunda-feira. Ontem estive lá novamente e disseram que talvez chegue até o final do mês”, relata.

Segundo ela, a medicação não está disponível para venda nas farmácias convencionais, sendo distribuída apenas pelo SUS. Em caso de interrupção do uso da medicação, a paciente explica que há riscos de que o órgão transplantado pare de funcionar. “Principalmente se o transplante tiver ocorrido há pouco tempo, porque o organismo ainda está se adaptando. Eu não quero voltar para o que eu sofri antes, já passei por hemodiálise e foi um período muito difícil”, afirma.

A reportagem do ODIA entrou em contato com a Sesapi que informou que a distribuição do medicamento é de responsabilidade do Ministério da Saúde e relatou atraso nos repasses do remédio para todas as unidades da federação, inclusive o Piauí. A previsão é de que até a medicação esteja novamente disponível para distribuição até o dia 30 de abril.

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas