Número de Doações de órgãos duplicam no 1º semestre de 2017

Número de doações dobra em relação ao ano passado. Mas, vice-coordenador da Organização de Procura de Órgãos (OPO) diz que o número poderia ainda ser maior.

10/07/2017 12:01h - Atualizado em 10/07/2017 12:35h

Compartilhar no

O Hospital Getúlio Vargas (HGV), registrou nesse primeiro semestre de 2017, um número dobrado de doações de órgãos em relação ao mesmo período em 2016. O aumento teria ocorrido por meio do trabalho da Organização de Procura de Órgãos (OPO), que ampliou o trabalho das equipes, mesmo havendo muita recusa das famílias piauienses. Segundo o Vice-coordenador a maior barreira a ser enfrentada ainda é a cultural.

De acordo com Cantuário, a recusa em doar órgãos por parte da família chega a mais de 70%, que é considerada altíssima.  “Muitas vezes às crenças são o empecilho. “É importante esclarecer, que depois de diagnosticada a morte cerebral não há como reverter o caso”, explica. 

Em 2016, a média de doações era de cinco por mês. Nesse primeiro semestre de 2017, houve um aumento significativo, passando para 10 doações por mês. Cantuário explica que apesar de ter tido um aumento, esse número poderia ser maior. “O número de doações ainda é baixo, por isso, estamos investindo na divulgação para que haja sensibilização das famílias em doar o órgão do parente falecido. Esse simples gesto, pode salvar muitas vidas”, destaca.

Ele destaca que é preciso falar sobre a morte. “A doação de uma pessoa pode salvar mais de oito. Por mais doloroso que seja, é preciso conversar em casa, expressar o desejo de doar seus órgãos. É um ato lindo que possibilita a manutenção da vida de outras pessoas”, acrescenta Cantuário. 

Compartilhar no
Fonte: Secretaria de saúde
Edição: Geici Mello

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas