Hospital armazena resíduos em banheiro

Fotos mostram os sacos com roupas e material infectante.

16/12/2013 18:51h

Compartilhar no

A equipe de reportagem do Jornal O DIA recebeu a denúncia de mau condicionamento e armazenamento de material resíduo sólido hospitalar e materiais de uso setor de Radiologia do Hospital São Marcos. As fotos mostram dezenas de sacos de lixo, depositados dentro do banheiro de uso coletivo de visitantes e pacientes, tanto do sexo masculino quanto feminino, contendo roupas de cama ou usadas por funcionários da repartição nos procedimentos, como também embalagens de lixo branco de resíduos infectantes. 

“Fiquei bastante impressionada quando tive que usar o banheiro da divisão. Apenas uma porta sanfona divide o vaso sanitário do local onde estão os sacos. Isso pode representar um perigo de infecção altíssimo, pois mesmo que sejam resíduos ou material limpos, o banheiro não deve ser o local apropriado para acondionamento”, relata Gabriela Lopes – nome fictício dado a enfermeira que prefere manter sigilo -, que no momento da captura das fotos era acompanhante de um paciente que fazia uma biópsia no Hospital São Marcos.

Segundo Lucimar Lima, da coordenação estadual de controle de infecções hospitalares, da Gerência de Estabelecimentos de Saúde, que integra o quadro da Divisão de Vigilância Sanitária Estadual, as imagens revelam que se trata de um procedimento de acondicionamento e armazenamento temporário irregular, visto que os materiais e resíduos estão dentro de um banheiro, onde pacientes e acompanhantes têm fácil acesso.

“O armazenamento temporário não poderá ser feito com disposição direta dos sacos sobre o piso, como mostra as fotografias, sendo obrigatória a conservação dos sacos em recipientes de acondicionamento. A sala para o armazenamento temporário pode ser compartilhada com a sala de utilidades. Neste caso, a sala deverá dispor de área exclusiva de no mínimo 2 m², para armazenar, dois recipientes coletores para posterior traslado até a área de armazenamento externo”, explica Lucimar Lima, de acordo com as normas sanitária vigentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a partir do  Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS).

Sobre o acondicionamento, os sacos a legislação da Anvisa afirma que devem estar contidos em recipientes de material lavável, resistente à punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e ser resistente ao tombamento. Os resíduos infectantes, isto é, os que contêm sangue ou secreções devem ser acondicionados em sacos branco leitosos, como os que aparecem nos registros, os quais precisam de tratamento antes de ser colocado para à disposição final (aterro sanitário).

“Como informam que ali estão materiais como roupas e lixo infectante, a preocupação é com as doenças ocupacionais, que podem causar aos funcionários, pacientes e acompanhantes, já que lixo no banheiro não causa infecção hospitalar propriamente dita. Os funcionários do Hospital podem contrair alguma doença de pele, por exemplo.”, frisa Lucimar Lima. Hoje (17) uma equipe da Vigilância Sanitária Estadual irá visitar o local para apurar as denúncias. De acordo com a coordenadora os resíduos de radiodiagnostico representam uma grande preocupação. 

A Divisão de Vigilância Sanitária Estadual (Divisa) está aberta a denúncias através do telefone (0800 280 3655) formalmente ou por e-mail ([email protected]). Caso seja comprava as irregularidades, os serviços do Hospital São Marcos serão notificados para se adequarem conforme a legislação pertinente. 

Desde a última sexta-feira (13), a equipe do Jornal O Dia mandou o material enviado pela leitora à assessoria de comunicação e marketing do Hospital São Marcos, sendo informada que as denúncias estariam sendo apuradas e apreciadas pela diretoria. Em uma segunda tentativa, hoje, não foi possível manter o contato com o Hospital.

Compartilhar no
Por: Beto Marques - Jornal O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário