Após paralisação, médicos irão receber salário descontado por faltas

A solicitação foi encaminhada na última sexta-feira (30), à SEADPREV, e apresentada durante reunião com os diretores dos hospitais da capital.

03/07/2017 16:43h - Atualizado em 03/07/2017 16:57h

Compartilhar no

Devido a paralisação iniciada hoje pelos médicos estaduais, a Secretaria de Estado da Saúde anunciou na tarde desta sexta-feira (03), que o secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, solicitou ao secretário de Estado de Administração e Previdência, Franzé Silva, que fossem abonadas as faltas registradas pelo Sistema de Ponto Eletrônico aos profissionais de saúde que atuam na rede hospitalar do Estado. Tudo em razão de falhas na parametrização do sistema no âmbito das Unidades Hospitalares. 

O pedido incluiu ainda a emissão de folha salarial suplementar, para que sejam feitas as devidas correções no pagamento dos salários dos servidores. De acordo com comunicado feito na tarde de hoje, 3, pela SEADPREV, a folha será paga no próximo dia 14 de julho.

A solicitação foi encaminhada na última sexta-feira (30), à SEADPREV, e apresentada durante reunião com os diretores dos hospitais da capital. Florentino Neto declarou ainda que há a necessidade de instituir uma Comissão para elaborar a parametrização do sistema, em conformidade com as necessidades técnicas específicas das unidades hospitalares e metas de produção estabelecidas pela Secretaria Estadual de Saúde, ressaltando a importância da implantação do gerenciamento compartilhado do Sistema de Ponto Eletrônico.

A comissão será formada pela diretoria de seis Hospitais de Teresina, por membro da Procuradoria Geral do Estado (PGE), por representantes da Controladoria Geral do Estado (CGE), da Diretoria de Gestão de Pessoas e ainda da Agência de Tecnologia e Informática(ATI), assim como integrantes da SEADPREV. Tudo visando o mais adequado cumprimento do Decreto Governamental que regulamenta o Controle de Frequência.

Em contato com a assessoria do Sindicato dos Médicos do Piauí (Simepi), a categoria não confirmou o fim da paralisação dos serviços anunciada no final do mês de junho. 

Entenda

Em represália ao desconto de pelo menos 10 dias dos salários dos médicos e médicas estaduais, que não estariam assinando o ponto eletrônico corretamente, os profissionais haviam anunciado uma paralisação entre os dias 4 e 6 de julho. Os atendimentos eletivos, consultas e procedimentos que estavam marcados para essa data foram cancelados e somente os serviços de urgência e emergência estão sendo mantidos.


Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas