Temendo 'derrota', governo estuda esvaziar votação de denúncia

A preocupação dos articuladores políticos palacianos é de que não haja quórum suficiente para iniciar a sessão e que o governo saia com o carimbo de 'grande derrotado'.

27/07/2017 09:43h

Compartilhar no

Com o temor de não conseguir o quórum mínimo de 342 deputados para votar a denúncia contra o presidente Michel Temer no dia 2 de agosto, o governo já estuda um plano B: deputados aliados só registrariam presença depois da oposição.

Essa estratégia vai ser analisada na reunião marcada pelo chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, com os líderes governistas no Palácio do Planalto, informou o repórter Nilson Klava, da GloboNews.  

A preocupação dos articuladores políticos palacianos é de que não haja quórum suficiente para iniciar a sessão e que o governo saia com o carimbo de "grande derrotado".

"Temos número para barrar a denúncia contra Temer. Mas temos que calcular a estratégia para evitar o desgaste do adiamento da votação", disse um líder governista. Por isso, a ordem é inverter o discurso e colocar a responsabilidade de garantir o quórum para oposição.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: G1 / Blog do Camarotti
Por: Gerson Camarotti

Deixe seu comentário