Sem avanços nas negociações, professores mantêm greve na Uespi

As propostas apresentadas pelo governo não agradaram a categoria, que decidem na próxima quarta-feira (03), se vão continuar com o movimento grevista.

01/04/2019 17:42h

Compartilhar no

Terminou sem acordo a audiência realizada na manhã dessa segunda-feira (01) entre o governador Wellington Dias (PT) e os representantes da classe dos professores da Universidade Estadual do Piauí- UESPI, que estão em greve desde o último dia 18 de março. Durante o encontro, o governo mais uma vez descartou a possibilidade de reajuste salarial, mas apresentou quatro pontos que podem ser atendidos de forma emergencial, sem ferir o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

 “O governador manifestou a sua disposição de manter o diálogo aberto, essa é a orientação dele para toda a equipe. Ele afirmou que ações emergenciais que não estejam limitadas pela Lei de Responsabilidade Fiscal serão atendidas, e já enumerou quatro. São elas: O pagamento de promoção anterior que já estava na previsão, portanto não se constitui em despesa nova; a regularização do sistema de bolsas estudantis, a Secretaria de Fazenda já está tomando as providências; o terceiro ponto é relativo às obras emergenciais, para que não haja prejuízo às atividades da Uespi. A reitoria ficou encarregada de apresentar um levantamento, já com os respectivos orçamentos”, explicou o Secretário de Governo Osmar Júnior, após a reunião com os docentes. 

As propostas apresentadas pelo governo não agradaram a categoria dos professores da Universidade Estadual, que decidem na próxima quarta-feira (03), em assembleia, se vão continuar com o movimento grevista. 

“O único ponto que a gente conseguiu avançar foi a implantação das promoções ,progressões e mudanças de regime de outubro. A gente não conseguiu uma garantia do governo que as próximas serão respeitadas, o que é o básico.  Não avançamos na questão da reposição salarial, nem na questão do chamamento dos classificados, e não avançamos também na questão do concurso público para docentes”, explicou a coordenadora da Associação dos Docentes da Uespi, Rosangela Asssunção.   

Durante a reunião dessa segunda-feira também foi deliberada a criação de um grupo de trabalho para discutir a autonomia financeira da Uespi, que será composto por representantes das Secretarias de Administração e Fazenda, Reitoria, além de docentes e estudantes da instituição.

Compartilhar no
Por: Natanael Souza

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário