• Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Saída do PSL aumenta crise e enfraquece Bolsonaro, diz cientista

Par ao cientista político Robert Bandeira, saída de Bolsonaro do PSL poderia enfraquecer sua base no congresso e aumentaria crise internacional.

11/10/2019 14:34h - Atualizado em 12/10/2019 10:10h

Em meio a polêmica mudança de partido, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ainda avalia a melhor forma de deixar o PSL e partir para outro rumo. O partido pelo qual se elegeu é investigado pelo uso de candidaturas laranjas  e mostra sinais de desgaste entre altos integrantes da cúpula com o clã Bolsonaro  (militares e seus filhos). 

Em uma análise, o cientista político Robert Bandeira, em entrevista ao Sistema O Dia nesta sexta (11), afirma que tendo em vista a situação pelo qual o Brasil passa, nacional e internacionalmente, a troca de partido do presidente é uma forma de agravar a imagem do Brasil na comunidade internacional. Nos quesito interno, a saída de Bolsonaro pode agravar ainda mais o mercado interno, que poderá perder a confiança no próprio governo.


“Isso pode trazer um pouco mais de crise pro país, ou seja, o país em crise vai ser mal visto lá fora. Essa crise vai ser associada a um presidente que está saindo de um partido está sendo acusado de caixa 2 usando nomes de laranjas e isso vai gerar um desconforto não só lá fora como na nossa própria economia”, explica Robert.

Como forma de tentar manter a base no congresso, o presidente avalia com cautela sua possível saída. A ida do presidente para outro partido seria acompanhada de seus deputados, algo que é vedado pela lei de fidelidade partidária até o momento, só sendo permitidas mudanças nos períodos de janela partidária. 


Cientista político explica possíveis consequências da saída de Bolsonaro do PSL. (Foto: Elias Fontenele/O Dia)

Outro fator que ainda faz o grupo bolsonarista avaliar sua saída é o fundo partidário, já que a ida de Bolsonaro para outra sigla implicaria em perda para o partido que fica e ganho para o partido que o receber.

“Se eles saem do PSL, eles vão perder muito da questão do dinheiro. Então vem muito da questão da briga do dinheiro em si”, analisa Robert.

Jair Bolsonaro já passou por 8 partidos desde seu início na carreira política. Nas últimas semanas houve embate do presidente Bolsonaro com o presidente do partido, Luciano Bivar (PE) que afirmou já ter afastado Jair. O grande temor da cúpula do governo é que sua saída da sigla possa enfraquecer ainda mais sua base, que não conta com números seguros para aprovação de projetos de sua autoria. A decisão deverá ser anunciada nas próximas semanas.

Por: Rodrigo Antunes

Deixe seu comentário