Quatro anos depois, Lula volta ao Piauí após prisão e reviravolta política

Pelas redes sociais vários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro prometem protestos contra Lula

15/08/2021 12:15h - Atualizado em 15/08/2021 16:23h

Compartilhar no

O ano era 2017, a Caravana Lula pelo Brasil percorria todo o estado do Piauí com o ex-presidente, de ônibus, aquecendo a sua pré-campanha política para 2018. Em Teresina Lula fez um grande ato com políticos, apoiadores e militantes. Seis meses depois, em abril de 2018, o ex-presidente se entregava a  Polícia Federal para cumprir a sentença de prisão expedida pelo ex-juiz  Sérgio Moro onde ficaria por 580 dias, até novembro de 2019. Quatro anos depois Lula volta ao Piauí nesta terça (17) e mais uma vez o ex-presidente busca em solo piauiense se fortalecer na disputa para a presidência em 2022.

Apesar das reviravoltas políticas e a vitória do presidenteJair Bolsonaro com uma base política fortemente estruturada sob o antipetismo, Lula volta ao estado com a popularidade em crescimento após a anulação de suas condenações pelo Supremo Tribunal Federal. A expectativa, de acordo com membros do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores, é que o ex-presidente possa fortalecer a pré-campanha de Rafael Fonteles ao governo do estado, além de robustecer a sua própria imagem para a eleição de 2022.

Na última sexta em entrevista a CBN de Santa Catarina, Lula mais uma vez defendeu o combate a desigualdade de renda e a maior taxação de impostos aos ricos, pauta histórica de seus dois mandatos que deve ser a tônica de sua passagem pelo Piauí.

Hoje temos 19 milhões de brasileiros passando fome e outros 24 milhões em situação de insegurança alimentar. Ou seja, pessoas que não estão conseguindo ingerir as calorias necessárias. Esse é o dado concreto que nós temos que combater. Temos de incluir o pobre no orçamento e o rico no imposto de renda.Temos uma predominância do trabalho intermitente, do bico. É assim que está vivendo o povo brasileiro hoje. “Precisamos de políticas públicas sólidas para criar emprego, é a forma mais justa de fazer com que a sociedade viva bem” afirmou o presidente.

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Protestos

Do outro lado do espectro político o clima é outro. Pelas redes sociais vários apoiadores do presidente Jair Bolsonaro prometem protestos contra o ex-presidente Lula, principal responsável, segundo eles, pela corrupção no país nos últimos anos. A promessa é que a semana do aniversário de Teresina seja um prenúncio do que veremos em 2022 com embates políticos intensos e uma polarização histórica na eleição presidencial.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário