• SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

PSDB tenta manter presidente da Câmara Municipal no partido

Com o movimento, os tucanos tentam desestabilizar a base de apoio que compõe o grupo comandado por Themístocles Filho.

14/02/2020 08:20h

Com planos de montar uma chapa proporcional forte e competitiva, o PSDB empreende esforços para manter o presidente da Câmara Municipal de Teresina (CMT), vereador Jeová Alencar, em seus quadros. Jeová já tem filiação acertada ao MDB, partido de oposição ao prefeito Firmino Filho (PSDB).


Leia também: Jeová nega dificuldades para formar chapa proporcional do MDB 


Apontado como provável nome do PSDB para disputar a Prefeitura de Teresina, Charles da Silveira esteve reunido com Jeová nesta quinta-feira (13). Embora negue qualquer conversa de cunho político com o amigo, ressaltou a importância do partido trabalhar pela manutenção de suas lideranças.

“Obviamente que nenhum partido quer perder um vereador, ainda mais sendo presidente da Câmara, então as conversas existem sempre. Agora isso depende da vontade do parlamentar (...) trabalhamos sempre para não perder nenhum filiado e nenhum parlamentar. Isso é um processo natural, mesmo sabendo das posições do Jeová. Se ele ficar, ótimo, é melhor para o partido”, declarou Silveira.


Charles Silveira, um dos articuladores tucanos, afirmou que ninguém quer perder filiados - Foto: O Dia

Jeová se distanciou do ninho tucano e rompeu politicamente com Firmino, quando do episódio da sua reeleição na presidência do legislativo municipal. Embora o relacionamento tenha ficado estremecido, o vereador Edson Melo, presidente do diretório tucano na capital piauiense, garantiu que nunca foi cogitado a expulsão do presidente da Câmara.

“Ele sempre teve um bom relacionamento com o PSDB. Apesar de um certo distanciamento, sempre manteve contato e um diálogo. Agora a decisão cabe a ele, que já tem um certo envolvimento com o MDB”, disse Edson Melo, que articula a montagem da chapa proporcional da sigla, inclusive com a adesão de vereadores de mandato por outras agremiações.

Por: Breno Cavalcante, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário