• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Orçamento para 2020 gera divergências entre base e oposição

O texto, que prevê uma receita total de aproximada­mente R$ 3,7 bilhões, vem gerando embates entre verea­dores da base e da oposição ao prefeito Firmino Filho.

23/11/2019 11:00h - Atualizado em 24/11/2019 09:29h

A Câmara Municipal de Te­resina já deu início à tramita­ção da Lei Orçamentária de 2020.

O texto, que prevê uma receita total de aproximada­mente R$ 3,7 bilhões, vem gerando embates entre verea­dores da base e da oposição ao prefeito Firmino Filho.

O vereador Edilberto Bor­ges, o Dudu (PT), questiona os valores destinados às secre­tarias da Mulher e da Juventu­de. Segundo ele, o percentual é insuficiente para garantir a realização de políticas públi­cas desenvolvidas pela pasta.

Edilberto Borges, o Dudu (PT). Foto: Arquivo O Dia.

“Serão apenas R$ 3,4 mi­lhões destinados para as po­líticas públicas para as mu­lheres e pouco mais de R$ 5 milhões serão investidos para a juventude. A gestão precisa tratar com respeito a popu­lação, pois política pública se faz é com investimentos de recursos públicos. Poder público não pode tratar de forma escanteada a destina­ção de mais investimentos para os jovens e mulheres da capital. Isso é um direito de todos os teresinenses”, criti­cou Dudu, que propõe o re­manejamento de recursos.

Já a líder do prefeito na Câmara Municipal, verea­dora Graça Amorim (PMB), afirmou que orçamento é sempre elaborado de forma a garantir o trabalho integra­do das pastas. “Em primeiro lugar, o orçamento privilegia Saúde, Educação e Assistência Social, mas também muitos recursos na área de mobili­dade urbana e trânsito. É um orçamento enxuto, bem divi­do em cada uma das pastas. Todas as secretarias trabalham de forma integrada, uma aju­dando a outra em cada ação, cada política que a Prefeitura desenvolve. Por isso que a ges­tão do prefeito Firmino vem desenvolvendo esse trabalho que merece o nosso aplauso”, disse.

O texto da Lei Orçamen­tária de 2020 já foi aprovado pelos vereadores em primeira votação. A expectativa é que a matéria volte a ser pautada no plenário da Câmara Muni­cipal na primeira semana de dezembro, uma vez que alguns pedidos de vista foram conce­didos.

Por: Natanael Souza, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário