Presidente da APPM é denunciado ao MP por crime de responsabilidade

A denúncia foi formalizada pela Câmara e está relacionada às inúmeras irregularidades no município

14/07/2017 07:58h

Compartilhar no
O presidente da APPM, Gil Carlos Modesto Alves, atual prefeito de São João do Piauí foi denunciado ao Ministério Público Estadual por crime de responsabilidade, caracterizado pela falta de informações sobre a contratação de uma frota de veículos alugados pela Prefeitura à empresas de Transportes e Turismo, sediadas em outros municípios. 

Desde que assumiu o mandato como prefeito, Gil Carlos vem sendo alvo de denúncias de malversação (Foto: Elias Fontenele/ O Dia)

A denúncia foi formalizada pela Câmara Municipal de São João, em Ofício dirigido ao Promotor de Justiça da Comarca, assinado pela Vereadora Nívia Selma Martins Nunes, Presidente daquele Poder Legislativo Municipal, em atendimento a requerimento do Vereador José Joaquim de Araújo (Zé Guinguirro), do PP. 
As informações requeridas à prefeitura fazem parte de uma investigação que está em curso, com vistas à apuração de inúmeras irregularidades na aplicação de recursos do Município “[...] que vem sendo consumidos por uma empresa de veículos: Line Turismo e Locar Transportes”, segundo o Vereador Zé Guinguirro. 
“Desde que assumiu o seu segundo mandato como prefeito de São João, o atual presidente da APPM vem sofrendo continuadas denúncias por malversação do dinheiro público, partidas não apenas de sua oposição na Câmara Municipal, mas também, de grande parte da população, inclusive de vários daqueles que votaram nele”, comentou forte liderança do Município, cujo nome pediu não ser revelado, em virtude de estar concluindo extenso dossiê a ser encaminhado ao Ministé- rio Público Estadual e Federal solicitando abertura de procedimentos de investigações do GAECO e da PF, sobre as irregularidades administrativas que vem cometendo o prefeito Gil Carlos, à frente da Prefeitura Municipal de São João do Piauí, inclusive, com relação ao exercício de 2014, cuja Prestação de Contas, foi aprovada com ressalvas e aplicação de multa pela primeira Câmara do TCE, que contrariou Parecer do Ministério Público de Contas, favorável à sua total e integral reprova- ção(com informações do Portal Mandacaru)
Compartilhar no
Fonte: Da Redação

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário