• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Prefeitura estima gasto mensal de R$ 60 mil com venezuelanos

De acordo com a Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), os gastos incluem as despesas com a manutenção dos dois abrigos, além de um valor que é dado para cada família.

08/08/2019 16:53h - Atualizado em 09/08/2019 08:26h

A Prefeitura de Teresina informou que está gastando cerca de R$ 60 mil por mês para dar assistência aos imigrantes venezuelanos que começaram a chegar na capital nos últimos meses.

O levantamento mais recente da Prefeitura apontou que há mais de 200 refugiados venezuelanos em Teresina. Portanto, o Executivo municipal está gastando aproximadamente R$ 300 por mês com cada imigrante, após contabilizadas todas as despesas.

As famílias venezuelanas estão abrigadas em dois locais, nos bairros Buenos Aires e Poti Velho, ambos na zona Norte.

De acordo com a Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), os gastos incluem as despesas com a manutenção dos dois abrigos, além de um valor que é dado para cada família, para a compra de itens básicos, como produtos de higiene.

Mais de 200 venezuelanos estão abrigados em dois locais na zona Norte da capital (Foto: Jailson Soares / O DIA)

"Existe uma comissão, formada por entidades governamentais e não governamentais, como a Pastoral do Povo de Rua, a Cáritas e o movimento MP3. O Governo do Estado ficou responsável por garantir os locais para acolhimento dessa população, e a Prefeitura atua por meio da Semcaspi e da Fundação Municipal de Saúde. Hoje, nós gastamos em torno de R$ 20 mil com materiais de limpeza, R$ 35 mil com alimentação, que segue uma dieta especializada, até porque eles têm uma cultura, que precisa ser respeitada, e ainda tivemos a responsabilidade de colocar geladeira, freezer no espaço em que eles estão acolhidos. Então, eu acredito que os gastos giram em torno de R$ 60 mil", afirma Mauricéia Carneiro, secretária-executiva do Sistema Único de Assistência Social (Suas), vinculada à Semcaspi.

A gestora afirma, ainda, que a Prefeitura enviou um plano de trabalho para a Secretaria Nacional de Assistência Social do Ministério da Cidadania, propondo uma pactuação para que seja feito o cofinanciamento federal, por meio do qual será possível repassar R$ 400 per capita para os venezuelanos.

A crise humanitária imposta à população da Venezuela pelo governo ditatorial de Nicolás Maduro levou a uma onda migratória de venezuelanos em direção aos demais países da América Latina, sobretudo o Brasil. 

Por: Cícero Portela e Lalesca Setúbal

Deixe seu comentário