Pela primeira vez na história, advogada trans faz defesa no STF

Gisele Alessandra Schmidt atua no processo que discute alterar o gênero no registro civil sem precisar de cirurgia de mudança de sexo

08/06/2017 10:14h

Compartilhar no

Pela primeira vez na História do Brasil, uma advogada transgênero fez uma sustentação oral nesta quarta-feira perante os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A advogada Gisele Alessandra Schmidt representa a ONG Dignidade, que atua no processo que discute a possibilidade de transexuais mudarem seu gênero no registro civil sem a necessidade de realização de cirurgia de mudança de sexo.

 
A primeira advogada transgênero a subir na tribuna do STF, Gisele Alessandra Schmidt (TV Justiça/Reprodução)

“Negar a uma pessoa o direito ao nome e a expressão da sua dignidade é negar o direito de existir. Requer-se a Vossas Excelências, portanto, que não nos neguem esse direito”, declarou Gisele. O plenário do STF voltou a debater o caso, porém o julgamento foi adiado pela segunda vez e os ministros apenas ouviram as posições de advogados. Não há previsão para uma nova análise do processo.

“Como tudo na vida das pessoas trans é extremado, comigo não poderia ser diferente. Esta é a primeira sustentação oral que eu faço nos meus dois anos de advocacia e ela acontece justamente na Suprema Corte do nosso país. Sinto que estou fazendo história, mas se estou aqui é porque sou uma sobrevivente”, disse Gisele, lembrando casos de preconceito e transfobia no país.

Compartilhar no
Fonte: Veja

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário