Oposição cria dois blocos partidários na Alepi em busca de mais espaços nas comissões

Um dos grupos será representado pelo Progressistas e outro pelo PSDB, PSB e PV

10/03/2021 14:52h

Compartilhar no

Os deputados que fazem oposição ao governador Wellington Dias (PT) na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) anunciaram a formação de dois blocos partidários. O intuito do grupo, minoria em relação a base aliada do petista, é conseguir indicar uma maior  quantidade de membros titulares nas comissões técnicas da Casa.

Nesta manhã (10), os deputados Marden Menezes (PSDB) e Teresa Britto (PV) participaram de uma reunião no gabinete do deputado Júlio Arcoverde (Progressistas), ocasião em que se sacramentou a estratégia e a forma como os parlamentares da ala oposicionista, que ainda conta com o Gustavo Neiva (PSB), deverão atuar ao longo de toda legislatura.

(Foto: Reprodução/Alepi)

“Vamos conversar com todos os deputados, independente de ser oposição ou não, pois todos participam das comissões temáticas [...] decidimos que vamos formar um bloco do PP e outro da oposição. Foi assim que ficou estabelecido para que a gente consiga o maior número de vagas nessas comissões”, disse o líder progressista.

Pela divisão de cadeiras, o PP garante ao menos um assento titular na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) enquanto a vaga do bloco formado por PV, PSDB e PSB será preenchida por Teresa Britto. “Tudo dentro do entendimento”, frisou Marden Menezes, líder deste grupo de agremiações que ficou na suplência do colegiado.

Apesar disso, a indicação para presidência da CCJ deve continuar com um membro da base governista, que terá o controle de quase todas as outras dez comissões permanentes da Alepi. O bloco formado por PT, PTB e PCdoB, por exemplo, deve indicar ao menos dois deputados para cada um dos colegiados.


Compartilhar no
Fonte: Com informações da Alepi

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário