• SOS Unimed
  • Fagner
  • Trilha das emoções
  • Novo app Jornal O Dia

NOVO cobra até R$ 2 mil na seleção de candidatos para as eleições

Partido inicia seleção de possíveis candidatos para o pleito de 2020.

09/09/2019 14:04h - Atualizado em 09/09/2019 21:12h

O Partido NOVO abriu, nesta segunda-feira (9), um processo seletivo para a escolha dos candidatos a vereadores e a prefeito de Teresina   nas eleições do próximo ano. 

A novidade é a cobrança de uma taxa de inscrição, que pode chegar ao valor de R$ 2 mil para o cargo majoritário e R$ 350 para o legislativo municipal, é o que diz o edital lançado pela executiva nacional da agremiação.

O Coordenador da sigla no Piauí, Wallace Miranda, explica que estes valores visam custear despesas do processo de seleção, haja visto que o partido é contra a utilização de recursos públicos do Fundo Partidário e Eleitoral ao qual tem direito. Ele garante que isso não é um empecilho aos postulantes de baixa renda, mas ressalta que o candidato precisa comprovar a capacidade de bancar uma campanha eleitoral.


Em entrevista do Em Dia News o coordenador do partido NOVO diz que o objetivo é arrecadar no mínimo R$ 17,4 mil

“Se a pessoa quer ser candidata pelo NOVO ela tem que justificar e explicar de onde vai tirar dinheiro para sua campanha, de doações, dos eventos e como vai organizar isso [...] esses valores não são impedimento algum, se a pessoa acredita que pode ser um candidato, ela consegue esse valor com doações, de maneira bem simples”, destaca Wallace Miranda.

processo para seleção de candidatos a prefeito da capital termina no próximo mês, já quem deseja disputar uma cadeira no legislativo municipal tem até fevereiro para fazer sua inscrição. A intenção do NOVO é preencher todas as vagas disponíveis, ou seja, o partido arrecadaria no mínimo R$ 17,4 mil caso isso ocorresse. Para Miranda, este valor é pequeno, se comparado ao que usado pelos outros partidos através da cota pública.


Wallace Miranda, coordenador do NOVO, explica processo seletivo para candidatos. (Foto: Arquivo/O Dia)

Vale ressaltar que o pagamento só ocorre na segunda etapa de seleção, no caso a entrevista. O processo ainda prevê prova escrita e entrevista. 

“Queremos que o candidato tenha conteúdo mesmo [...] queremos saber se a pessoa tem nossos princípios e valores, é o fundamental”, pontua o coordenador estadual da legenda.

Dentre outras exigências do partido em seu termo de compromisso e gestão partidária, estão reduzir o número de assessores, de custos de gabinete e que cumpram os 4 anos de mandato, em caso de serem eleitos.

Edição: Rodrigo Antunes
Por: Breno Cavalcante

Deixe seu comentário