No Twitter, Bolsonaro anuncia substituição de Ricardo Vélez Rodríguez

A demissão de Velez já era aguardada, e o anúncio foi feito por volta das 11h30 desta segunda-feira (8).

08/04/2019 11:45h - Atualizado em 08/04/2019 13:34h

Compartilhar no

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, em seu perfil no Twitter, a demissão do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez.

Na rede social, Bolsonaro postou que Abraham Weintraub será o novo titular do ministério, e fez um breve resumo do seu currículo, destacando que é professor universitário, doutor e que possui larga experiência em gestão, tendo, segundo o presidente, "o conhecimento necessário para a pasta".

A demissão de Velez já era aguardada, e o anúncio foi feito por volta das 11h30 desta segunda-feira (8).

Leia a íntegra do post feito pelo presidente na rede social:


O ministro exonerado Ricardo Vélez Rodriguez (Foto: Arquivo pessoal)

O presidente também havia usado o Twitter para anunciar a escolha do filósofo Vélez Rodríguez para o MEC, ainda no dia 22 de novembro do ano passado, mais de um mês antes de tomar posse como presidente.

Antes de seu nome ser confirmado para o ministério, Vélez havia feito um post em seu blog, no dia 7 de novembro, afirmando que seu nome fora indicado a Bolsonaro pelo também filósofo Olavo de Carvalho.

Polêmicas de Vélez

Nos cerca de 90 dias em que esteve à frente do MEC, Vélez criou uma série de polêmicas, que acabaram desgastando seu nome.

Ainda em janeiro, o ministro afirmou que "a ideia de universidade para todos não existe", e que "as universidades devem ficar reservadas para uma elite intelectual, que não é a mesma elite econômica".

Ele também declarou que o brasileiro, quando viaja ao exterior, comporta-se como um "canibal", e rouba objetos dos hotéis.

No mês de fevereiro, o ministro determinou o envio de uma carta oficial aos diretores das escolas públicas do país, orientando que as crianças cantassem o hino nacional e lessem o slogan usado na campanha eleitoral por Jair Bolsonaro. O ministério pediu, ainda, que as escolas fizessem vídeos das crianças cantando o hino e que as imagens fossem enviadas à pasta.

Em sintonia com as ideias do presidente da República, Vélez também afirmou que não houve golpe militar em 1964, e disse que os livros didáticos deverão ser revisados, para que tenham uma "visão mais ampla da história".

Novo ministro

Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Abraham Weintraub é mestre em administração pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Executivo do mercado financeiro, atuou no grupo Votorantim e foi membro do comitê de Trading da BM&FBovespa. 

Em 2016, coordenou a apresentação de uma proposta alternativa de reforma da previdência social formulada pelos professores da Unifesp. 

Weintraub atua como secretário-executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni, e agora assumirá o lugar do colombiano Ricardo Vélez.

Compartilhar no
Por: Cícero Portela

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário