• Clínica Shirley Holanda
  • Semana do servidor
  • Netlux
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Montezuma ironiza denúncias em transporte escolar municipal

Montezuma reforçou que todos os contratos da secretaria e de outras pastas são acompanhadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI).

10/10/2019 08:42h

O secretário municipal de Educação de Teresina, Kléber Montezuma, compareceu nesta quarta-feira (9) à Câmara Municipal de vereadores para prestar esclarecimentos sobre o processo licitatório para contratação de empresas para o transporte escolar na cidade. A oposição, liderada pelo vereador Dudu (PT), apresentou em Plenário questionamentos sobre possíveis irregularidades na licitação. 


Leia também:

PF faz buscas e apreensões dentro na sede do governo do Estado 

Recursos desviados dariam para adquirir 200 ônibus escolares, diz PF 


Durante os esclarecimentos, Kleber Montezuma respondeu questionamentos quanto às ações de sua pasta e aproveitou para ironizar a investigação da Policia Federal em valores pagos para o transporte escolar na rede pública estadual, comandada pelo PT, partido de Dudu. 

Montezuma ironiza denúncias em transporte escolar municipal. (Foto: Arquivo O Dia)

“O papel da oposição é falar, e ela não tem feito outra coisa, a não ser falar. Se tem uma secretaria na prefeitura em que se trabalha com lisura, respeito ao dinheiro público, transparência e praticando os preços mais baixos do mercado, chama-se secretaria municipal de Educação. Lá a Polícia Federal nunca foi, como foi na secretaria de certos vereadores que falam aqui dentro. Lá no Palácio da Cidade, a Polícia Federal nunca foi, como já foi no Palácio de Karnak, de alguns vereadores que falam aqui dentro. Há uma diferença muito grande”, defendeu.

Apesar de sugerir motivações eleitoreiras nas denúncias, Montezuma reforçou que todos os contratos da secretaria e de outras pastas são acompanhadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI). O vereador Dudu (PT) se esquivou da ironia de Montezuma. 

“Graças a Deus que a Polícia Federal não esteve lá, que continue assim. Ninguém está fazendo mais do que a obrigação. Todo gestor público tem que ter respeito com a coisa pública e respeito com as instituições. Nós vamos continuar fiscalizando o dinheiro público do município”, pontuou.

Edição: João Magalhães
Por: Breno Cavalcante

Deixe seu comentário