• Curta Doar
  • Teresina 167 anos
  • Casa dos salgados
  • Novo app Jornal O Dia

Mesmo fora do PSL, Elizeu diz que segue apoiando governo Bolsonaro

Ex-deputado federal afirma que no PSL do Piauí quem manda não é quem tem mais votos ou quem tem mandato, mas sim quem grita mais.

19/07/2019 17:25h - Atualizado em 19/07/2019 18:46h

O ex-deputado Elizeu Aguiar afirmou nesta sexta-feira (19) que já comunicou ao vereador Luís André, presidente do diretório estadual do PSL, que sua decisão de se desfiliar do partido é irreversível. 

Mas, mesmo fora da sigla, o ex-deputado federal afirma que seguirá manifestando apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e torcendo pelo sucesso do seu governo.

"Eu creio que o Bolsonaro vai fazer uma grande gestão. Votei nele, votaria novamente, porque valores como a família são respeitados. Eu acho que ele tem bons propósitos, é sério, é honesto. Agora, logicamente que não dá pra governar com um pensamento único. Tem que ampliar essa visão, porque o país é extenso, tem dimensões continentais, temos diversas regiões, algumas mais ricas, outras mais pobres, e é preciso governar para todos", afirmou Elizeu, acrescentando que, se ainda fosse deputado federal, votaria a favor da reforma da Previdência. 

Na quinta-feira, em entrevista ao jornal O DIA, Elizeu confirmou que iria sair do PSL, depois de um mal entendido na posse dos novos membros do diretório municipal do partido em Teresina, quando, no último instante, alteraram o cargo que o ex-deputado ocuparia, sem que ele fosse previamente informado.

O ex-deputado federal Elizeu Aguiar já comunicou ao vereador Luís André, presidente do diretório estadual do PSL, que se desfiliará da sigla (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Antes mesmo desse episódio, Elizeu já havia recebido convites para se filiar a outros partidos. Ele afirma que pretende analisar com calma todas as possibilidades antes de tomar uma decisão sobre seu destino político.

Elizeu lamenta as circunstâncias que o levaram a decidir sair do partido, e diz que no PSL do Piauí quem manda não é quem tem mais votos ou quem tem mandato, mas sim quem grita mais.

"Não posso permanecer num partido que não tem nenhuma consideração por alguém que teve a maior votação do partido em 2018. Estou saindo não pelo cargo no diretório. É pela falta de ética e de respeito que alguns demonstraram", afirmou Elizeu, em entrevista ao telejornal O DIA News 2ª edição.

Elizeu já vinha recebendo convites para se filiar a outros partidos (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

Ainda de acordo com Elizeu, o PSL no Piauí transformou-se num "turbilhão", em que todo mundo quer falar em nome do partido. O ex-deputado afirma que o vereador Luís André, presidente do diretório estadual, precisa ter mais pulso, e resolver essa situação.

"No PSL [do Piauí] há um excesso de vaidade, uma vontade das pessoas de aparecer, e, consequentemente, isso gera um desconforto dentro do partido, porque pessoas que não estão credenciadas pra falar em nome do PSL falam, e o presidente [Luís André] não resolve isso. Eu disse isso pra ele, para o bem dele e para o bem do partido, que ele avalie se vale a pena conduzir o partido dessa forma", salienta Elizeu.

'Reforma administrativa de Wellington Dias foi engodo', diz Elizeu

O ex-deputado federal também fez críticas ao governo Wellington Dias (PT), classificando como um "engodo" a reforma administrativa realizada no primeiro semestre pelo petista.

"Essa reforma administrativa do governo Wellington Dias é um engodo. Ela, na realidade, foi feita pra plateia, talvez pra ele acalmar os ânimos com relação à realidade pela qual o estado passava. Por exemplo, nessa reforma a promessa era de que não haveria nenhum deputado chamado [para assumir secretarias]. Já chamaram oito e vão chamar mais, porque ainda tem pessoas que precisam ser contempladas. Então, eles criaram todo um discurso positivo, pra dar uma acalmada, mas no fundo o estado continua com as mesmas dificuldades", afirmou Elizeu.

Por: Cícero Portela

Deixe seu comentário