• Campanha Mobieduca
  • Teresina shopping
  • HEMOPI - Junho vermelho
  • ITNET
  • Novo app Jornal O Dia
  • TV O DIA att

Mesmo contra, Elmano votou a favor de Coaf voltar para a Economia

Senador decidiu votar a favor da MP porque se houvesse mudança matéria teria que voltar para a Câmara, e risco de texto não ser aprovado aumentaria.

29/05/2019 16:30h - Atualizado em 30/05/2019 09:53h

Mesmo sendo um defensor da medida provisória (MP) 870, editada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que deixava o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sob o comando do Ministério da Justiça, comandado pelo ex-juiz Sérgio Moro, Elmano Férrer (Pode), vice-líder do governo no Senado, por questões de agilidade legislativa, votou a favor de que o órgão retornasse para o Ministério da Economia.

“Sou favorável ao Coaf continuar com o ministro Sérgio Moro, mas na MP, que vence no dia 3 de junho, consta também outros itens, como a manutenção de 22 ministérios ao invés de 29, e caso votássemos qualquer modificação, seria necessário voltar para a Câmara. Assim, considerei preferível a aprovação da reforma dos ministérios”, explicou o parlamentar.

O senado Elmano Férrer (Foto: Divulgação)

Na última terça-feira (28), o plenário do Senado decidiu manter a decisão da Câmara Federal, que devolveu o Coaf para o Ministério da Economia, como já era antes de o presidente Bolsonaro assinar a MP 870.

O ministério de Paulo Guedes incorporou a Previdência Social e as atribuições dos ministérios da Fazenda, do Planejamento e do Trabalho.

A matéria segue agora para a sanção presidencial.

Seguindo orientação partidária, o senador Marcelo Castro (MDB) também votou favorável à MP. Já Ciro Nogueira (PP) não esteve presente na votação. A reportagem do Jornal O DIA tentou contactar todos os parlamentares citados na matéria, mas não obteve retorno destes dois últimos.

Por: Breno Cavalcante

Deixe seu comentário