Karnak recua, mantém coordenadorias e diz que essência do projeto foi mantida

Apesar da aprovação da maior parte das mensagens que compõem a reforma administrativa, Ricardo Pontes ressaltou que o governo irá continuar adotando ainda outras medidas para reduzir gastos e dar fôlego financeiro ao Estado.

27/03/2019 06:53h

Compartilhar no

Para conseguir a aprovação da reforma administrativa na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) em primeira votação nesta terça-feira (26), o governo teve que ceder e recusar quanto a alguns aspectos do projeto. Um deles foi a manutenção da Coordenadoria do Programa Mais Vida para o Idoso, que seria extinta com a reforma e foi alvo de críticas por parte até mesmo de membros da base aliada.

Apesar disso, o secretário estadual de Administração e Previdência (Seadprev), Ricardo Pontes, avaliou positivamente a aprovação da matéria ainda que com adequações ao texto original. Segundo ele, essas emendas já eram previstas pelo governador Wellington Dias (PT).


Ricardo Pontes, secretário de Administração e Previdência - Foto: Arquivo O Dia

“Sabemos que teríamos discussões e que ceder em alguns pontos, então quando mandamos para Assembleia já sabíamos que teríamos todo esse debate com os deputados, mas saímos conscientes de que aprovamos a reforma com aquilo que era possível encaminhar, e saímos satisfeitos”, pontuou o secretário.

Apesar da aprovação da maior parte das mensagens que compõem a reforma administrativa, Ricardo Pontes ressaltou que o governo irá continuar adotando ainda outras medidas para reduzir gastos e dar fôlego financeiro ao Estado. A estimativa é conseguir ao todo, uma economia de R$ 400 milhões.

“Não é somente essa estrutura administrativa que irá proporcionar os R$ 400 milhões de economia, o que vai é um conjunto de medidas que estamos tomando, dentre elas essa reforma que está sendo aprovada agora. Temos também todo um esforço que o Estado já está fazendo, para reduzir custos, contratos de terceirizados e também uma auditoria na folha”, esclarece o secretário.

Compartilhar no
Por: Breno Cavalcante - Jornal O Dia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário