Inquérito contra Aécio é redistribuído para Alexandre de Moraes

Os pedidos de redistribuições foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot,e aceitos pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia

28/06/2017 10:21h

Compartilhar no

Cinco inquéritos baseados nas delações de executivos da Odebrecht ganharam novos relatores nesta terça-feira. Uma investigação contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) será relatada pelo ministro Alexandre de Moraes.

Já o ministro Gilmar Mendes será o responsável por um inquérito contra o ministro Aloysio Nunes, das Relações Exteriores, e o senador José Serra (PSDB-SP).


Foto: Carlos Moura/STF 


Moraes também ganhou a relatoria de uma investigação sobre o senadores Eduardo Braga (PMDB-AM) e Omar Aziz (PSD-AM).

O ministro Luis Roberto Barroso será o relator de dois inquéritos: um contra o deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP) e outro contra o deputado federal Vicente Cândido (PT-SP).

Os pedidos de redistribuições foram feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot,e aceitos pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no tribunal, concordou com as solicitações. Isso porque tais inquéritos não tratam de irregularidades na Petrobras, foco das investigações da Lava-Jato.

Até agora, outros sete inquéritos surgidos a partir da delação da Odebrecht já foram redistribuídos.

Na semana passada, uma das investigações contra Aécio foi sorteada para Gilmar Mendes. Janot pediu também que um outro inquérito contra o tucano fosse distirbuído por dependência, ou seja, que o mesmo sorteio valesse para os dois processos. Ainda não está definido, contudo, se o pedido foi aceito e se Gilmar será também o relator desta outra investigação.

Outro inquérito contra o senador afastado, também baseado na delação da Odebrecht, já havia sido redistribuído no STF, e passou a ser relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski.


Compartilhar no
Fonte: O Globo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário