• show Legião Urbana
  • casa gourmet 2018
  • TV O DIA - fullbanner w3b
  • TV O Dia - fullbanner

Indicado para a Educação tem valores familiares, afirma Bolsonaro

O presidente eleito anunciou o nome do filósofo colombiano Ricardo Vélez Rodriguez, que tem afinidade com o movimento Escola Sem Partido

24/11/2018 12:11h

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse neste sábado (24) que a nomeação de Ricardo Vélez Rodriguez para o ministério da Educação atende a "valores familiares e respeito à criança". Ele negou pressão da bancada evangélica, embora tenha reconhecido que o indicado agrada às lideranças do segmento.

"Pelo que eu sei, [Vélez] não é evangélico. Mas atende aquilo que a bancada evangélica defende, os princípios, valores familiares e respeito à criança", afirmou, em entrevista após participar de cerimônia na Brigada de Infantaria Paraquedista, no Rio.

Antes da nomeação de Vélez, rumores apontavam a escolha de Mozart Ramos, do Instituto Ayrton Senna, que teria desagradado os evangélicos. Bolsonaro afirmou que não havia batido o martelo por nenhum nome.

"Várias pessoas me procuram, são indicadas, eu converso com todos", alegou, dizendo que a imprensa "comeu barriga" ao anunciar o nome de Ramos. 

Perguntado sobre críticas a declarações de Vélez sobre uma educação mais conservadora, Bolsonaro afirmou que "se [educação] plural é ensinar sexo para criancinhas, parabéns ao futuro ministro.

"Escola é lugar de aprender uma profissão e também noções de cidadania e patriotismo, amor à pátria. É isso que nós queremos, e não ficar com essa história de ideologia de gênero ou formando militantes", afirmou.


DEM

Bolsonaro negou que o DEM venha ganhando grande presença em seu governo, mas que estaria gerando críticas dentro do partido do presidente eleito, o PSL. O DEM já tem dois ministros, Tereza Cristina, da Agricultura, e Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, além do aliado de primeira hora e futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

"O DEM não conseguiu nenhum ministério. Quem indicou a senhora Tereza Cristina, do DEM, foi a bancada ruralista, que tem mais de 200 deputados. Quem indicou o Mandetta, além de outras instituições, foi a bancada da Saúde. Se fosse do PSDB, seis acolhido por mim da mesma forma", afirmou.

O presidente eleito disse que vem mantendo conversas para fechar o ministério, mas evita dar um prazo para a conclusão das negociações. E repetiu que o segundo escalão será ocupado por nomes técnicos.

"Não estou lá para fazer festa como em governos anteriores", disse ele, afirmando que não vai "jogar cargos para o alto".

Fonte: Folhapress

Deixe seu comentário






Enquete

Um jovem morreu ao sofrer descarga elétrica colocando celular para carregar. Quais cuidados você toma em relação a isso?

ver resultado