• Banner OAB
  • Campanha da Santa Missa
  • Vencer 03
  • Vencer 02
  • Vencer 01
  • Prerrogativas da advogacia
  • Peregrinos da fé
  • Novo app Jornal O Dia

Incra aguarda liberação de crédito para construção de mil casas no PI

A expectativa do Incra é ampliar sua política de regularização fundiária e titulação definitiva de assentamentos no estado

27/02/2020 08:27h

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) planeja construir mais de mil casas em assentamentos no Piauí, além da reforma de outras três mil residências. Segundo Tiago Vasconcelos, superintendente regional do órgão no estado, a previsão é que os recursos para a ação sejam disponibilizados ainda em março.

“Estamos aguardando liberação de crédito para, quem sabe, construir mais de mil unidades habitacionais e reformar quase três mil habitações. É muita coisa para um órgão que estava praticamente não prestigiado no Piauí”, afirmou o superintendente em entrevista ao Jornal O Dia, sem revelar o orçamento total previsto para realização deste empreendimento.

Além disso, a expectativa do Incra é ampliar sua política de regularização fundiária e titulação definitiva de assentamentos no estado. Para isso, não descarta o trabalho em parceria com o Governo do Estado, através da assinatura de convênios com o Instituto de Terras do Piauí (INTERPI).


O superintendente do órgão no estado tenta destravar os recursos para as obras - Foto: O Dia

“Isso mostra que o Governo Federal não tem essa questão política como impedimento, pois na verdade o objetivo é beneficiar pequeno, médios e grandes agricultores. Lógico que o Governo Federal quer que seja sabido no estado que os recursos foram investimento pela União”, explicou Vasconcelos.

Tiago Vasconcelos chegou à superintendência regional do Incra no final do ano passado. Naquela oportunidade, havia cerca de R$ 16 milhões em caixa para investimentos voltados ao fomento a agricultura familiar desses assentamentos. “Como estávamos no final do ano, não conseguimos aplicar todo esse crédito disponibilizado. Aplicamos R$ 10 milhões e acreditamos, valor esse que deve se repetir para o ano de 2020 ou até mesmo ser ampliado”, finalizou.

Por: Breno Cavalcante, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário