• Banner Cultura Governo do PI
  • Obras no Litoral Cultura
  • SOS Unimed
  • Novo app Jornal O Dia

Flávio Nogueira aciona Justiça Eleitoral para deixar o PDT

Além do piauiense, outros seis deputados, incluindo Tabata Amaral, ingressaram com ações individuais.

16/10/2019 06:50h

O deputado federal Flávio Nogueira e os demais deputados do PDT que votaram a favor da Reforma da Previdência ingressaram nessa terça-feira (15) com ações judiciais junto ao Tribunal Superior Eleitoral solicitando o direito de deixar o partido sem o risco de perderem os mandatos.


Leia também: Flavio Nogueira deve assumir a presidência estadual do PP 


Os parlamentares questionam a legalidade da suspensão imposta pela direção nacional do PDT, que resulta em uma série de sanções internas na sigla aos dissidentes. Segundo eles, o prazo estabelecido pelo estatuto já teria encerrado. 

“Recorremos à Justiça Eleitoral para que ela possa nos dar o direito de sair do partido sem perder o mandato, exatamente pelas perseguições, pelo fingimento, e por não estarmos atuando na plenitude do nosso mandato dentro do nosso partido. Não podemos usar a sigla. Sou presidente do partido, mas estou sem função de presidente, num ano importantíssimo, que é um ano pré-eleitoral. Então, não tem outra saída”, explicou Flávio Nogueira. 


O parlamentar quer sair da sigla sem correr o risco de perder o mandato. Ele compõe o grupo que contrariou o PDT na votação da reforma - Foto: Divulgação

O piauiense também criticou a postura da direção nacional do PDT em relação à Reforma da Previdência, que, segundo ele, é um instrumento que vai possibilitar o avanço da economia e a geração de mais empregos no país.

“A economia está moderna. Precisamos de mais leis para flexibilizar a economia e empregar mais pessoas. Nós aqui do parlamento estamos mais preocupados com a geração de empregos. Precisamos modernizar os partidos, principalmente os que se dizem trabalhistas”, defendeu. 

Além de Flávio Nogueira, outros seis parlamentares do PDT e do PSB ingressaram com ações individuais junto ao Tribunal Superior Eleitoral(TSE) solicitando o direito de deixar o partido sem o risco de perder o mandato. 

Por: Natanael Souza, do Jornal O Dia

Deixe seu comentário