Firmino promete revogar decreto que retira famílias do entorno do aeroporto

Prefeito disse que ministro dos Transportes sinalizou que a construção do novo aeroporto será incluída no Programa de Parceria de Investimentos (PPI).

28/06/2017 12:13h - Atualizado em 28/06/2017 13:35h

Compartilhar no

O prefeito Firmino Filho (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (28) mais um capítulo da novela envolvendo a construção do novo aeroporto na cidade de Teresina, projeto que se arrasta há pelo menos quatro gestões municipais e que até agora não saiu do papel.

O prefeito esteve em Brasília, onde participou de uma audiência com o senador Ciro Nogueira (PP) e com Maurício Quintella, titular do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Na ocasião, segundo Firmino, ficou acertada uma "estratégia" para que um novo aeroporto de Teresina seja construído na zona rural da cidade, a partir de uma parceria público-privada (PPP).

O prefeito Firmino Filho (Foto: Elias Fontinele / O DIA)

O tucano afirma que o representante do Governo Federal sinalizou a intenção de incluir a construção do aeroporto no Programa de Parceria de Investimentos (PPI), destinado a fomentar empreendimentos públicos de infraestrutura executados através de contratos de parceria celebrados entre a administração pública e o setor privado. 

O prefeito também anunciou que, assim que a parceria com o Governo Federal estiver consolidada, ele vai revogar o polêmico decreto municipal que estabelecia a retirada de 340 famílias residentes no entorno do atual terminal aeroportuário.

"Oficializada na próxima semana essa entrada no PPI, nós revogaremos o decreto. É importante ter uma boa estratégia e temos também o reconhecimento do Governo Federal de que estamos fazendo da forma correta", afirma.

Na foto, da esquerda para a direita: o deputado estadual Júlio Arcoverde, o senador Ciro Nogueira, o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, o prefeito Firmino Filho e o secretário estadual de Defesa Civil, Hélio Isaías (Foto: Divulgação)

Pelo acordo, o Governo Federal deve ceder o terreno onde está localizado o Aeroporto Petrônio Portella, na zona norte da capital, enquanto a Prefeitura de Teresina vai autorizar a construção de novos edifícios em locais que hoje são proibidos, por estarem situados próximo ao terminal aeroportuário. Segundo o prefeito, essa medida vai permitir investimentos imobiliários na região, o que deve gerar fontes de financiamentos para a construção do novo aeroporto.

"Vamos emitir títulos sobre os direitos de construção nessas novas áreas onde poderão ser construídas, por conta da nova localização do aeroporto. Com essa nova fonte de financiamento se torna uma promessa mais factível, no meio dessa crise toda, em que não existe recursos orçamentários por parte da União. E essa estratégia poderá permitir que o setor privado possa construir esse aeroporto de forma gradativa", afirma.

O prefeito ressalta que o Aeroporto Petrônio Portella possui uma péssima localização, por estar numa parte baixa da cidade e próximo ao centro, o que tem "atrapalhado o desenvolvimento da cidade", segundo Firmino.

Obra deve durar um ano e meio

Firmino Filho disse ainda que, após ser iniciada, a obra deve ser concluída num prazo de aproximadamente um ano e meio.

Mas para isso, acrescenta o tucano, é preciso que a bancada do Piauí em Brasília se empenhe em cobrar do Governo Federal uma condução mais ágil desse projeto.

Compartilhar no
Por: Cícero Portela e Ithyara Borges

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário