• Piauí Férias de Norte a Sul
  • SOS Unimed
  • Ecotur 2019
  • Novo app Jornal O Dia

Estados só contribuem se déficit for solucionado, endurece Wellington

O governador condicionou o apoio dos estados ao texto da reforma da Previdência a apresentação de uma solução definitiva para o déficit estadual. “sem sustentabilidade de aposentados e pensionistas", frisou

28/06/2019 07:00h

Frente ao cenário de desajustes das contas públicas, o governador Wellington Dias (PT) afirmou, à imprensa nacional, que a proposta de reforma da Previdência atualmente em discussão na Câmara Federal não atende as demandas e não reduz as dívidas dos estados. Ele defendeu alterações no texto capazes de dar mais fôlego aos estados.

Frente ao cenário de desajustes das contas públicas, o governador Wellington Dias (PT) afirmou, à imprensa nacional, que a proposta de reforma da Previdência atualmente em discussão na Câmara Federal não atende as demandas e não reduz as dívidas dos estados. Ele defendeu alterações no texto capazes de dar mais fôlego aos estados.

“Não tem sentido aprovarmos uma reforma e sairmos dela com déficit, não termos condições de sustentabilidade de aposentados e pensionistas. Apresentamos a necessidade de ter um casamento de algumas receitas novas que estão sob poder de decisão aqui do Congresso”, disse o governador.

Governador Wellington afirma que não tem sentido aprovar uma reforma e saírem dela com déficit - Foto: Assis Fernandes/O Dia

A inclusão dos estados, além de municípios, ainda é negociada no Congresso Nacional, no entanto, Dias considera a necessidade de um maior diálogo com a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que essas questões sejam discutidas e superadas. “Para nós não faz diferença estar dentro ou fora da reforma se não é uma reforma que dá solução ao déficit da Previdência”, acrescentou.

As declarações foram dadas após uma reunião com o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), que contou com a participação de outros governadores do Nordeste, que manifestaram o desejo da aprovação de projetos capazes de aumentar o repasse de recursos aos estados, como a repactuação federativa, com o objetivo de cobrir suas dívidas previdenciárias. 

Estados só irão contribuir para aprovação da reforma com uma solução para o déficit, declara governador

Em meio às negociações para inclusão de estados e municípios na reforma da Previdência, o governador Wellington Dias (PT), em entrevista a veículos da imprensa nacional, declarou que os estados só devem colaborar para a aprovação do projeto caso o Congresso facilite o repasse de recursos para suprir o déficit das previdências estaduais.

"Para os estados só faz sentido participar e contribuir para aprovação da reforma, de um lado retirando os temas que mexiam com os mais pobres e, também, que a gente tenha uma proposta que seja capaz de dar solução para o déficit da previdência", enfatizou o petista.

Dias havia declarado, anteriormente, que o Piauí poderia contribuir com até nove votos na aprovação da matéria na Câmara Federal, onde a mesma ainda tramita, agora cobra, dentre outras coisas, a aprovação de projetos como a partilha do fundo social e securitização da dívida, para contornar o problema com as contas públicas dos estados.

“Precisamos de uma definição. Não tem sentido aprovarmos uma reforma se nós saímos dela com déficit. A estimativa é de redução de apenas 10% do déficit. Isso não resolve, precisamos de um entendimento sobre isso”, argumentou o governador piauiense.

A previsão é que na próxima terça-feira (2) seja construído um cronograma que estipule uma sintonia para a votação da proposta relacionada à Previdência e das propostas para criação de novas receitas que dêem sustentabilidade e equilibre o déficit previdenciário nos estados.

Por: Breno Cavalcante - Jornal O Dia

Deixe seu comentário