Em coletiva Lula ataca Moro e diz que união de Ciro com Bolsonaro não durará muito

O ex-presidente revelou também que pode ter o governador Wellington Dias como o seu coordenador de campanha

18/08/2021 15:10h

Compartilhar no

O ex-presidente Lula encerrou no início da tarde desta quarta (18) a sua passagem pelo Piauí. Em coletiva a veículos de imprensa do estado o ex-presidente fez um resumo dos seus últimos anos políticos e atacou o ex-juiz Sérgio Moro, a quem chamou de “mentiroso”. O político revelou também que pode ter o governador Wellington Dias como o seu coordenador de campanha no próximo ano, além de dialogar com os partidos do centrão nos estados individualmente.

O ex-presidente fez um prognóstico negativo sobre o relacionamento entre Bolsonaro e o ministro piauiense, Ciro Nogueira. Para ele o casamento entre Ciro e o presidente não durará muito.

“Eu não sei por quanto tempo o Ciro ficará com Bolsonaro, não tenho nenhuma certeza, esse casamento será mais curto que se imagina. Ele levou o Ciro como um Deus para salvar o governo com o centrão. Tenho conversado com o PP nos estados, o Ciro tomou a decisão só, nos estados os líderes do partido podem escolher o melhor caminho. O Bolsonaro apostou, vamos ver, ele já perdeu algumas votações nesses dias e o Ciro já começou não tendo a força que ele prometeu. Acho que ele representa para o Bolsonaro o que o Bornhausen representou para o Collor para salvar do Impeachment. O Bolsonaro pode até escapar do impeachment, mas não escapará do julgamento do povo em 2022”; afirmou Lula.

Lula ainda comentou a possibilidade de ter ao seu lado o governador Wellington Dias como coordenador de campanha no nordeste. O político afirmou que o governador do Piauí poderia ser até mesmo ministro de estado em um futuro governo seu.

“Será louco o presidente que não quiser um índio esperto do lado dele. Como não sou candidato não posso ficar fazendo Ministério um companheiro que tem a competência dela, será imprescindível fazer parte de qualquer governo. O índio é esperto, não conheço ninguém mais calejado que ele, esteja aonde estiver vai contribuir com o nosso trabalho” declarou o ex-presidente

Foto: Assis Fernandes/ODIA

Ataque a Sérgio Moro

“Nunca houve na história do Brasil nenhum político que tenha sofrido 10% do massacre que sofri, por menos do que isso o Getúlio Vargas se matou. A lava-jato tinha como princípio combater a corrupção, mas montaram uma quadrilha para beneficiar eles mesmo. Fui condenado por fato indeterminado. O Moro é um juiz mentiroso, não gostava de mostrar a cara nas audiências. Prestei vários depoimentos cada um mais escabroso que o outro, sabia que iria voltar e esclarecer a verdade, e hoje estou inocentado de todas as acusações. Graças a Deus e a decisão da suprema corte estou aqui, de cabeça erguida e moral elevada, não sei se meus acusadores estão conseguindo dormir. Formaram uma quadrilha de mentirosos para me atacar” declarou o político.

Briga entre STF e Presidente

Lula comentou a briga entre o presidente Jair Bolsonaro e os ministros do STF e defendeu a harmonia entre os poderes para o equilíbrio do país.

“A constituição define a harmonia entre os poderes hoje temos um presidente que agride todo mundo e conta cinco mentiras por dia, não tem briga do judiciário tem briga de um presidente irresponsável e incompetente, que está criando uma situação muito crítica com as forças armadas. O Bolsonaro tem que ser julgado seja pelo STF, pelo congresso. O importante seria esse responsável aprender a governar o país” concluiu Lula.

O presidente segue agora para o Maranhão onde continua sua agenda pelo nordeste do Brasil, posteriormente Lula volta para São Paulo.

Foto: Assis Fernandes/ODIA

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário